Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Invenções e Descobertas
Segunda-feira, 28 ago 2017 - 09h46

Ciência: EUA suspeitam de uso de arma acústica contra diplomatas em Cuba

Pesquisadores e agentes do serviço secreto dos EUA acreditam que o governo de Cuba utilizou alguma espécie de arma acústica contra diplomatas estadunidenses e canadenses, o que teria causado fortes lesões auditivas em diversos membros oficiais a serviço em Cuba.

Armas acusticas

Ainda não se tem certeza das causas que levaram os diplomatas a sentirem fortes e repentinas dores de cabeça no final do ano passado. Segundo reportagem da CNN e da Associated Press (AP), as dores de cabeça eram tão intensas que obrigaram os diplomatas a deixarem Havana para tratamento nos EUA.

Autoridades americanas disseram que não tinham permissão para falar publicamente sobre o assunto, mas fontes da AP confirmaram que alguns diplomatas chegaram aos hospitais parcialmente desorientados e apresentando sintomas de surdez.

Reportagem da CNN mostrou que dez diplomatas americanos, juntamente com seus familiares, apresentavam náuseas e sinais de alterações significativas no aparelho auditivo.

Ainda não há comprovação de que Cuba tenha usado algum tipo de arma sônica contra membros das embaixadas dos EUA e Canadá, mas alguns membros das embaixadas relataram movimentações suspeitas do lado de fora das embaixadas alguns dias antes do suposto ataque.

Em retaliação aos acontecimentos, em maio de 2017 o governo dos EUA expulsou quatro diplomatas que trabalhavam em Washington.


Armas sônicas
De acordo com especialistas em segurança, os sintomas apresentados pelos diplomatas se enquadram perfeitamente dentro do rol de lesões que poderiam ser causadas por ondas acústicas não audíveis extremamente fortes ou emissões eletromagnéticas intensas no comprimento das microondas.

Arma acustica usada por soldado americano
Arma acústica de longo alcance do tipo LRAD (Long-Range Acoustic Device) usada por militar da marinha americana.

Os incidentes em Havana não foram acompanhados por ruídos audíveis, o que faz supor - caso tenham acontecido, que estavam operando em frequência além ou aquém da faixa da audição humana.

Ataque Acústico
Segundos os especialistas, há duas maneiras de se fazer um ataque acústico.

O primeiro seria através das microondas, em que pequenos feixes direcionados às cabeças das pessoas aceleram rapidamente o tecido dentro do cérebro, gerando uma pequena onda de choque.

Esta onda de choque é registrada como som pelo ouvido, que então vibram em uma frequência extremamente alta, causando perda de audição e dores de cabeça extremamente severas. Além disso, esse método também poderia causar dano neurológico duradouro caso a intensidade das microondas fossem bastante elevada.

Outra forma de realizar um ataque acústico é através dos infrassons, ondas mecânicas que vibram em frequência mais baixa que aquelas percebidas pelo ouvido humano. Essas ondas também podem causar perda auditiva e segundo o Instituto Nacional de Saúde, dos EUA, ficar exposto a infrassons concentrados pode causar "fadiga, náuseas, desorientação, apatia, sonolência e vibração de órgãos internos".






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A guerra nada mais é que a continuação da política por outros meios" - Karl von Clausewitz