Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Quarta-feira, 27 nov 2013 - 09h15

Cometa ISON penetra no campo de visão do LASCO C3

Atualização: 27 nov 2013 - 19h15 BRT
ISON está a menos de 24 horas para o periélio

O cometa ISON está neste momento (19h00 BRT) a 14 milhões de quilômetros do Sol e a menos de 24 horas do periélio. Na atual dinâmica, o cometa deverá entrar no campo de visão do coronógrafo LASCO C2 às 11h00 BRT do dia 28.

Quando o cometa estiver visível neste instrumento sua distância em relação à estrela será de apenas 5.38 milhões de km do Sol, viajando a quase 1 milhão de km por hora.




Cometa ISON penetra no campo de visão do LASCO C3
Como previsto, exatamente a zero hora desta quarta-feira o cometa ISON penetrou no campo de visão do coronógrafo LASCO C3. As cenas mostram o cometa aparentemente saudável, pronto para enfrentar seu pior pesadelo: o inferno da corona solar.


As primeiras imagens dessa quarta-feira mostravam o cometa C/2012 S1 ISON quando estava a apenas 22 milhões de quilômetros da superfície da estrela. O cometa surgiu lentamente pelo canto inferior direito da imagem, com velocidade estimada em 830 mil km/h.

À medida que se aproxima do Sol essa velocidade vai aumentar ainda mais até atingir o periélio na quinta-feira, às 16h43 BRT, quando ISON chegará a apenas 1.1 milhão de quilômetros da superfície. Nesse instante, ISON estará viajando a 1.36 milhão de quilômetros por hora, velocidade suficiente para fazê-lo contornar a estrela e retornar para dentro do Sistema Solar.

No entanto, como explicado inúmeras vezes pelo Apolo11, ISON poderá ser pulverizado pelo calor escaldante de 2 milhões de graus da corona solar e ninguém sabe ao certo como o cometa vai se comportar.

De acordo com o experiente observador de cometas, Jakub Cerny, ISON tem um núcleo aparentemente esférico estimado em 630 metros de raio. Não há observações que comprovem ou não a possibilidade do cometa estar fragmentado, mas se houver os pedaços deverão ser inferiores a 50 metros.


Explosão Solar
Ao mesmo em que o cometa penetrava no campo de visão do coronógrafo do telescópio espacial SOHO, uma intensa ejeção de massa coronal era registrada no limbo posterior da estrela e não direcionada à Terra.

Não há previsão de tempestades solares intensas durante a passagem de ISON, o que colocaria em risco a integridade de sua cauda, que poderia ser arrancada pela pressão do vento solar. Um bom exemplo é o vídeo mostrado acima, quando uma Ejeção de Massa Coronal - CME - arrancou parte da cauda do cometa 2p/Enke no último dia 22 de novembro.

O Apolo11 continuará a cobertura sobre o cometa durante todo o período que estiver visível no campo de visão do telescópio SOHO, disponibilizando aos leitores as últimas imagens registradas pelo telescópio. As cenas são atualizadas a cada 60 minutos, mas poderá haver buracos na recepção dos arquivos, cedidos gentilmente pela ESA, Agência Espacial Europeia.

Além disso, haverá atualizações de informações durante todo o dia. Fique ligado!


Fotos: No topo, sequências atualizadas da passagem do cometa ISON como vista pelo telescópio espacial SOHO através do instrumento LASCO C3. Na sequência, momento em que o cometa 2P/Enke perde parte de sua cauda após um evento de Ejeção de Massa Coronal. Créditos: ESA/NASA, Apolo11.com.






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A avareza e a cobiça do poder não são paixões - são medo." - Carl Ehrensvard