Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Vulcões
Segunda-feira, 10 jul 2017 - 10h12

Novas fissuras confirmam o rompimento do continente africano

Novas imagens de satélites de sensoriamento remoto mostram que a região do Triângulo de Afar, no leste da Eritréia, está cada vez mais fragmentada e confirmam a possibilidade de futura separação da Etiópia e Eritréia do resto da África.

Fendo do triangulo de Afar
A imagem mostra parte da fenda sobre o Triângulo de Afar, sinal do nascimento de um novo oceano e futuro rompimento do continente africano.

A fenda principal do leste africano foi aberta em 2005 em consequência de um terremoto e na ocasião atingiu 60 km. No entanto, as últimas observações confirmam que a extensão está crescendo com velocidade sem precedente.


Novas Rachaduras
Recentemente, uma equipe de pesquisadores dos Estados Unidos e Grã Bretanha identificou novas fissuras ao redor do vulcão Erta Ale, posicionado sobre a tripla interface de placas tectônicas no leste do continente, acima da Etiópia, na região conhecida como Triângulo de Afar.

Nesta região se situa a maior fenda da crosta da Terra vista em décadas ou talvez em séculos, e segundo os cientistas, será o ao longo dessa fenda que o continente deverá partir, isolando a Eritréia e Etiópia, do resto do continente.

Noroeste da Africa e regiao do Triangulo de Afar
Imagem de satélite mostra o noroeste da África. A região do Triângulo de Afar é facilmente distinguível às portas do Mar Vermelho.


De acordo com as observações, a tríplice junção tectônica próxima ao vulcão está se separando muito rapidamente, disparando diversos outros vulcões na região. As recentes fendas foram abertas em 21 de janeiro de 2017 e de lá pra cá as antigas fendas se separaram e abriram ainda mais.


Movimentos subterrâneos
Esta rachadura na crosta do leste africano reflete os movimentos subterrâneos causados pelo afastamento entre as placas tectônicas da África e Arábica. Esse movimento obriga a crosta a se romper e conforme a fenda se amplia, as rochas derretidas abaixo da crosta são expelidas em direção à superfície, se solidificando e formando o leito de um eventual oceano.

Segundo os cálculos dos cientistas envolvidos na pesquisa, aproximadamente 4.5 km cúbicos de lava já afloraram da rachadura. Esse volume seria suficiente para encher três mil vezes um estádio de futebol de grande porte.

Embora o rompimento da crosta do Triângulo de Afar esteja ocorrendo de forma constante, a separação do continente não deverá ocorrer tão cedo.


Penetração do Mar Vermelho
Segundo Tim Wright, da Universidade de Oxford, e que participa do grupo de pesquisa desde que a primeira fenda se abriu, se este movimento geológico continuar, em aproximadamente 1 milhão de anos a região conhecida como o Chifre da África vai se separar do resto do continente. De acordo com Wrigh, a fenda deverá alcançar o Mar Vermelho, o que fará o Índico adentrar por ela antes que a separação total ocorra.






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles