Espaço, Ciência e Tecnologia. Educação Científica.
Tudo o que acontece na Terra e no espaço
você encontra aqui.
     

Editoria: Astronomia
Quarta-feira, 20 fev 2008 - 10h08

Eclipse da Lua é hoje, com transmissão ao vivo!

Hoje, exatamente às 22h43, um belo espetáculo celeste terá início e poderá ser apreciado e acompanhado em toda sua plenitude. Trata-se do eclipse total da Lua, que poderá ser visto em todo o Brasil e que poderá ser observado sem nenhum tipo de aparelho ótico. Bastam seus olhos, o melhor instrumento que existe!

O evento desta noite será acompanhado e transmitido ao vivo pelo Apolo11, que a partir do observatório localizado na cidade de São Paulo, manterá duas câmeras apontadas para o nosso satélite. Todas as fases do evento já estão disponíveis em forma de uma pequena tabela, que facilitará bastante o acompanhamento das imagens transmitidas e que mostra exatamente sobre qual cratera a sombra da Terra está passando ou penetrando.

clique aqui e acesse a página que criamos especialmente para o evento.


Ocultamento de Regulus
Outra efeméride bastante interessante, que ocorrerá antes do eclipse, será o ocultamento da estrela Regulus, da constelação do Leão. O fenômeno ocorrerá às 19h25, quando a borda da estrela parecerá tocar o disco lunar. Lentamente, o ponto luminoso vai sendo encoberto pela Lua e cinco minutos depois estará totalmente oculto. Regulus volta a aparecer 63 minutos depois, às 20h33. Às 20h38 estará totalmente visível novamente.

Regulus é a estrela mais brilhante da constelação do leão. Seu brilho é de magnitude 1.38 e se localiza a 77.4 anos-luz de distância da Terra.


O Eclipse
Exatamente às 22h43 pelo horário de Brasília, a Lua inicia sua jornada dentro do cone de sombra criado pela Terra, que bloqueará os raios solares que atingem a Lua. Aos nossos olhos, vai parecer que nosso satélite levou uma pequena mordida, que vai crescendo à medida que o tempo passa até se tornar completamente encoberta pela semi-escuridão.

De acordo com cálculos astronômicos, a Lua permanecerá totalmente imersa no cone de sombra durante 50 minutos. Esse período é 57 minutos menor que a máxima duração que um evento desse tipo permite, que é de 107 minutos. O eclipse total tem início às 00h01 de quinta-feira e segue até às 00h51, mas antes e depois desse período as diversas fases podem ser apreciadas.


Como acontece
Quando qualquer corpo esférico é iluminado por uma fonte pontual de luz, são produzidos dois cones de sombra, chamados de penumbra e umbra. Em condições ideais a região da umbra é totalmente escura, enquanto a penumbra ainda recebe um parte da luz. Durante um eclipse lunar acontece o mesmo, com o Sol fazendo o papel da fonte de luz pontual. Fortemente iluminada, a Terra também produz dois cones de sombra que são projetados no espaço

Em algumas ocasiões, o movimento de translação da Lua ao redor da Terra a situa dentro do cone da penumbra. Esta ocasião recebe o nome de eclipse penumbral e é muito difícl de ser observado, já que a diminuição de luz dentro deste cone é muito baixa para ser percebida. Em outras situações, no enatnto, a Lua mergulha exatamente dentro da zona de sombra da umbra, ocorrendo então o eclipse total da lua


O eclipse
Todo eclipse total da Lua possui cinco fases bem definidas que incluem os contatos iniciais e finais do satélite com os cones de umbra e penumbra além do meio do eclipse, conhecido como totalidade

Na quarta-feira a Lua tocará a penumbra às 21h35 e caminhará por essa zona até às 22h43, até que sua borda encosta na área de umbra. Esse dois momentos são vistos no gráfico como P1 e U1.Quando a Lua estiver completamente dentro do cone de sombra da umbra, diz-se que o eclipse é total. Esse momento é assinalado no gráfico como U2 e ocorrerá às 00h01. A Lua permanece na totalidade do eclipse até às 00h51, quando sua borda toca novamente a penumbra oposta, iniciando o final da totalidade. O ápice do eclipse ocorre às 00h26.

Caminhando dentro da penumbra, lentamente a Lua deixa a totalidade. Às 02h09 o corpo estará totalmente dentro da penumbra oposta, dando fim à fase de totalidade. Esse momento é assinalado no gráfico como U4. O eclipse se encerra totalmente às 03h17 , quando toda a Lua estará fora dos dois cones de sombra projetados no espaço


Atmosfera
É importante notar que mesmo imersa na sombra da Terra, a Lua não desaparece totalmente. Um pequena parte dos raios do Sol sofre um pequeno desvio, ou refração, nas altas camadas da atmosfera. Esse desvio faz a luz solar penetrar no cone da umbra e ilumina Lua. As condições atmosféricas determinam a cor da Lua no momento do eclipse, e esta pode se apresentar alaranjada, avermelhalada e até marrom escuro. Partículas em suspensão geradas por erupções vulcânicas contribuem para avermelhar ainda mais o satélite durante o evento.


Fotografando o eclipse
Quem quiser fotografar o eclipse com um pouco mais de aproximação, pode tentar utilizar um binóculo, luneta ou telescópio. Para isso sugerimos um método de astrofotografia conhecido como "afocal", que consiste em aproximar a lente da câmera fotográfica à objetiva do instrumento, focalizando com cuidado. Se for possível, fixe bem o equipamento, mantendo-os bem firmes e evitando tremidas.

Para acompanhar o eclipse ao vivo pelo Apolo11 é só clicar aqui e acessar a página que criamos especialmente para o evento.

E não se esqueça: faça várias fotos e envie para nós para serem publicadas!


Direitos Reservados
É vedada a utilização deste texto

Leia nosso Termo de Uso e saiba como publicar este material em seu site ou blog

URL curta dessa página: http://tinyurl.com/26wkjdv




Pesquise no Apolo11
Utilize a caixa de pesquisa personalizada
Custom Search







IMAGENS DE SATÉLITES !    Clique e conheça nosso Vídeo Workshop de sensoriamento remoto e imagens meteorológicas.
Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2014
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento

"A guerra é mais difícil de começar do que de acabar." - Salústio - historiador - 86-35 a.C