Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Meio Ambiente
Segunda-feira, 13 jul 2009 - 07h57

Mar de Aral na Ásia pode sumir por completo até 2020

O Mar de Aral, situado na Ásia Central entre o Cazaquistão e Uzbequistão está desaparecendo. O mar que já foi um dos quatro maiores da Terra perdeu surpreendentemente 40 mil km² desde a década de 80.


Clique para ampliar

Imagens de satélite captadas pelo Envisat da agência espacial europeia mostram o processo de desaparecimento da água entre os anos de 2006 e 2009 e o que se vê é um pouco mais do que lagos dispersos. Cientistas acreditam que a parte do sul do Aral suma por completo até 2020.

A ação do homem na região é apontada como uma das causas de sua transformação. A água dos rios que desembocam no mar serve para a irrigação de cultivos na região.

A história mostra que no final dos anos 80, o Mar de Aral já havia se dividido em dois, o Aral Pequeno ao norte no Cazaquistão e o Aral Grande ao sul, compartilhado pelo Cazaquistão e Uzbequistão.

Até o ano de 2000, o Aral Grande sofreu uma nova divisão, a oeste e leste. Neste processo foi registrada a perda de 80% da capacidade da água na parte leste.

Ao longo dos anos o sumiço das águas deu lugar a um deserto de 40 mil km² que recebeu o nome de Aral Karakum. A transformação da paisagem também mudou o clima no local. As temperaturas têm sido mais baixas no inverno e mais altas durante o verão.

Atualmente, o governo do Cazaquistão e o Banco Mundial tentam salvar o Aral Pequeno através da construção de um dique na parte sul que já ajudou a elevar o nível das águas em 4 metros.


Foto: Imagem mostra o deserto de Aral Karakun, formado a partir do ressecamento do leito. Créditos: ESA/Envisat/Wikimedia Commons.






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Nós amamos nossa pátria não porque ela seja forte ou rica, mas por ser a que temos" - Autor desconhecido