Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Imagens de satélite da Terra
Quinta-feira, 26 set 2013 - 09h08

Satélite mostra nuvem tóxica avançando sobre o Sudeste

Atualização: 26 de setembro - 17h00
Pluma em imagem de satélite gera dúvida
A pluma esverdeada mostrada na imagem de satélite pode não ser unicamente da nuvem de fumaça química originada em São Francisco do Sul, mas também de uma "explosão" de fitoplânctons na costa sul/sudeste do Brasil . Essa coloração e formatos são típicos desses microorganismos quando registrados nas imagens dos satélites Terra/Aqua.

Imagem de satélite pode ser de fitoplanctons na costa brasileira
Clique para ampliar

Além de fitoplânctons, as imagens também mostram sedimentos sendo transportados pelas correntes marítimas, provenientes da descarga de rios ao longo da costa.

A imagem acima mostra a mesma área da cena anterior, mas tomada na tarde desta quinta-feira.




Satélite mostra nuvem tóxica avançando sobre o Sudeste
Imagens registradas pelo satélite de sensoriamento remoto Terra, da Nasa, mostram que a nuvem de nitrato de amônio proveniente do acidente de uma fábrica de produtos químicos em Santa Catarina já chegou ao litoral do Paraná e litoral sul de São Paulo.

Imagem de satélite de explosão em fabrica em Santa Catarina
Clique para ampliar

A nuvem tóxica se formou após a explosão de um dos armazéns de uma fábrica de fertilizantes situada na cidade de São Francisco do Sul, localizada às margens da baia de Babitonga, próximo à Joinville, na altura da costa de Santa Catarina.

O acidente ocorreu no final da noite de terça-feira, 23 de setembro, e produziu uma gigantesca nuvem de cor amarela composta principalmente de Nitrato de Amônio - NH4NO3 - componente amplamente utilizado na fabricação de fertilizantes, inseticidas e explosivos.

Diferente do que foi informado pelas autoridades locais, o produto é tóxico e causa irritações nos olhos, na pele e no trato respiratório e pode provocar tosse, dor de garganta e dificuldade respiratória.

Deslocamento
A imagem de satélite foi feita às 10h20 BRT, cerca de 11 horas depois do acidente e mostra que a quantidade de NH4NO3 injetado na atmosfera foi bastante elevada. Na cena, a pluma pode ser vista em tons esverdeados e naquele momento já cobria grande extensão do litoral de Santa Catarina e Paraná.

Imagem da explosão em fabrica em Santa Catarina
Clique para ampliar

Devido ao sistema de circulação de ventos e à presença de um ciclone extratropical que age sobre o oceano, a pluma deve avançar sobre o litoral sul de São Paulo já nesta quinta-feira, podendo chegar à costa do Rio de Janeiro entre sexta-feira e sábado.

À medida que avança sobre parte da região Sudeste a pluma se dispersa, apresentando níveis de concentração de NH4NO3 bem inferiores aqueles observados na cidade de São Francisco do Sul, onde 121 pessoas foram atendidas por intoxicação e mais de 800 pessoas precisaram ser removidas para abrigos ou casas de parentes.

Além dos riscos à saúde, por ser altamente solúvel em água o nitrato de amônio pode contaminar cursos d’água, tornando-os impróprios para qualquer tipo de finalidade.


Artes: no topo, imagem do satélite de sensoriamento remoto Terra mostra o avanço da nuvem química sobre parte da região sul do Brasil. Acima, a fumaça sendo expelida pelo armazém da fábrica de fertilizantes. Créditos: Nasa/Terra, Rapid Fire Modis Team, Facebook, Apolo11.com.






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Democracia é a procura de soluções aproximadas para problemas insolúveis" - Reinhold Niebuhr