Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Imagens de satélite da Terra
Sexta-feira, 19 nov 2010 - 10h58

Satélite registra tempestade de poeira em pleno Golfo do Alasca

Sempre que falamos em tempestades de areia, a primeira imagem que vem à cabeça é a dos desertos da África ou Oriente Médio. Isso é quase sempre certo, mas essas tormentas também ocorrem nas latitudes mais elevadas e não é incomum serem vistas próximas ao Círculo Polar Ártico.

Tempestade de poeira em pleno Golfo do Alasca, registrada em 17 de novembro de 2010
Clique para ampliar

Nessa foto, registrada em 17 de novembro de 2010 vemos um desses momentos. Ela foi registrada pelo instrumento MODIS a bordo do satélite de sensoriamento remoto Terra, da Nasa, e mostra delgadas plumas de poeira bege sendo sopradas da costa do Alasca na direção do Pacífico Norte.

Na direção sul, uma barreira de nuvens parece copiar o padrão e a direção da pluma de poeira. Em alguns pontos até a sombra das nuvens é projetada acima da pluma, que parece atuar como uma grande tela de um quadro. Ao que tudo indica, tanto as nuvens como a esteira de poeira foram moldadas pelo mesmo sistema de ventos que atuava na região.

O glaciar de Malaspina, visto em destaque na imagem, é apenas uma entre tantas outras formações de gelo que bordeiam o golfo do Alasca. O constante atrito entre os glaciares e as rochas pulveriza o material rochoso, que é transformado em uma espécie de "farinha glacial". Esse material é levado pela água derretida, formando grandes planícies de lama. Quando secam, as partículas rochosas são levadas pelo vento e produzem a tênue pluma de poeira, como registrado na cena.


Foto: Tempestade de poeira em pleno Golfo do Alasca, registrada em 17 de novembro de 2010. Crédito: Jeff Schmaltz, MODIS Rapid Response Team at NASA GSFC/ APOLO11.COM







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Pela rédea o cava,lo conhece quem o está montando" - Provérbio Turco"