Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Terça-feira, 6 ago 2013 - 10h59

Evento solar de grande proporção deve ocorrer nos próximos meses

Observações feitas por cientistas estadunidenses indicam que nos próximos quatro meses o campo magnético do Sol deve se inverter totalmente e produzir uma série de efeitos em cascata em todo o Sistema Solar, com possibilidade de mais tempestades geomagnéticas na Terra.

Inversão de polaridade do Sol
Clique para ampliar

Atualmente, estamos praticamente no pico do Ciclo Solar 24, um período caracterizado pela alternância entre a alta e baixa atividade da estrela, que se repete a cada 11 anos. Quando o Sol atinge este momento máximo, seu dínamo interno se auto-organiza e seu campo magnético se inverte.

De acordo com o físico solar Todd Hoeksema, diretor do Observatório Solar Wilcox, da Universidade de Stanford, os polos solares são indicadores bastante precisos dessa mudança e desde 1976 foram registradas três grandes inversões na orientação do campo magnético polar do Sol. Se a sequência for mantida, a quarta reversão deve ocorrer até o final de 2013.

Essa reversão acontece de modo rápido, com o campo magnético polar enfraquecendo até chegar a zero. Em seguida emerge novamente, mas com a polaridade invertida. Segundo Phil Scherrer, também ligado à Stanford, apesar de ser um processo com diversas implicações de grande escala, esse é um evento natural e faz parte do ciclo solar.

A inversão do campo magnético do Sol é de fato um evento de grande magnitude e quando acontece produz ondas de polaridades magnéticas reversas que se deslocam por toda a heliosfera, além da orbita de Plutão.


Consequências
À medida que o Sol gira, seu campo magnético induz uma corrente elétrica de alguns bilionésimos de amperes por metro quadrado que se estende por uma extensa área projetada a partir do equador solar chamada "esteira de corrente". Apesar da intensidade ser pequena, a corrente flui através de uma região de 10 mil km de espessura e milhares de quilômetros de largura.

Durante a inversão de campo magnético, a esteira se torna muito ondulada e na medida em que a Terra orbita o Sol, todo o planeta mergulha para dentro e para fora dessa estrutura, o que pode provocar poderosas tempestades geomagnéticas na Terra.


Inversão a caminho
Os dados registrados pelo observatório Wilcox revelam que os dois hemisférios do sol estão fora de sincronia. Enquanto o norte já mudou de polaridade, o polo sul ainda não apresentou essa reversão, mas segundo Scherrer é apenas uma questão de tempo.


Artes: No topo, concepção artística mostra o Sol e as linhas de fluxo magnético que fluem ao redor da estrela. No vídeo, explicação mais detalhada sobre o processo da reversão e da esteira de corrente. Créditos: Wilcox Solar Observatory, Nasa, Apolo11.com.






Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Ninguém pode construir sua segurança com base na nobreza de alguém" - Willa Cather