Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Tsunamis
Quinta-feira, 17 mar 2011 - 10h15

Voluntário transmite ao vivo nível de radiação em Tóquio

Diante da terrível situação pela qual passa o Japão, é natural que as autoridades tentem controlar as informações que chegam à população. Recentemente, um boato de que os níveis de radiação em Tóquio estariam elevados fez com que diversas pessoas deixassem a capital. No entanto, um voluntário localizado nos arredores da cidade está monitorando os níveis de radiação e colocando ao vivo as imagens na internet.

contador Geiger

O instrumento utilizado pelo voluntário japonês é o conhecido como contador Geiger-Muller, inventado em 1913 pelo alemão Hans Geiger e aperfeiçoado em 1928, em conjunto com seu compatriota Walther Müller.

O princípio de funcionamento do instrumento é bastante simples e se baseia na propriedade que as partículas alfa, beta e gama têm de ionizar um gás nobre.

O elemento principal do detector é uma ampola de vidro preenchida com gás argônio. Quando uma dessas partículas penetra o interior do tubo, libera elétrons do gás, tornando-o condutor por uma fração de segundo, produzindo uma descarga elétrica. Essa descarga é então detectada, amplificada e enviada a um instrumento registrador, que mede a quantidade de partículas que estão ionizando gás.

Apesar de ser um instrumento amador, o contador Geiger-Muller utilizado pelo voluntário é bastante preciso na contagem de partículas e por isso pode ser um bom monitor dos níveis reais de radiação que estão sendo registrados.

De acordo com a página na internet, o tubo sensor do contador está instalado do lado de fora da casa, preso na parte externa de uma das janelas. Pelo que se pode ver, o instrumento está calibrado em CPM (Contagens Por Minuto) e não em Sieverts ou Roentgens, que é a forma utilizada pelas autoridades sanitárias para se medir a dose de radiação em uma pessoa. No entanto, é possível converter os números apresentado e transforma-los nessas unidades, como mostra a tabela abaixo.

CPMMiliRoentgens/hSievert/h
12.00 0.010.1 microSv
1,200.00110 microSv
12,000.0010100 microSv
120,000.001001 miliSv

Para fins de comparação, a radiação global média normal é de cerca de 0.1 microSieverts por hora, algo próximo a 12 CPM. Desde que entrou em operação, o instrumento instalado em Tóquio vem apresentando valores ao redor de 13 CPM, o que pode ser considerado normal. Para se ter uma ideia, a radiação dentro do reator 2 da usina de Fukushima entre os dias 15 e 16 de março estava entre 3 e 10 mSv/h (miliSieverts por hora) . Se o instrumento estivesse dentro da usina registraria valores entre 360 mil CPM e 1.2 milhão CPMs.

Abaixo vemos alguns valores práticos de exposição e que podem ser usados como referência:

  • Radiografia dos dentes: 0.005 mSv
  • Mamografia: 3 mSv
  • Tomografia do Crânio: 0.8 a 5 mSv
  • Série de radiografias de Investigação gastrointestinal: 14 mSv
  • Limite norte-americano para voluntários em operação de resgate: 1000 mSv (1 Sv)
  • Dose próxima ao reator 4 de Chernobyl após a explosão: 10 a 300 Sv/hr
  • Nível de radiação reportado dentro do reator 3 da usina de Fukushima: 400 mSv/h

    Veja ao vivo no Painel Global o Contador Geiger-Muller instalado em Tóquio






  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "A guerra é mais difícil de começar do que de acabar." - Salústio - historiador - 86-35 a.C