Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Invenções e Descobertas
Domingo, 22 jan 2006 - 20h02

Cemitério de 3.000 anos descoberto em Roma

Arqueólogos informam ter descoberto o que parece ser o teto de mais uma tumba em um cemitério de 3.000 anos atrás, o mais recente achado sobre um povo pouco conhecido que precedeu os fundadores de Roma por cerca de três séculos. O arqueólogo Alessandro Delfino disse que o teto está a poucos metros da tumba descoberta na quinta-feira, e que parece datar de 1.000 AC.O local encontra-se sob o Fórum de César, parte do amplo complexo de fóruns imperiais romanos.

A descoberta de ontem provocou uma onda de entusiasmo nos arqueólogos de Roma, que antecipam a possível localização de um verdadeiro tesouro de artefatos e arquitetura que poderá ampliar o conhecimento disponível sobre o período, na transição entre as eras do Bronze e do Ferro.

A descoberta da nova tumba pode "indicar a existência de uma série de tumbas construídas muito antes da fundação da cidade", disse Delfino. Ele disse que o cemitério era destinado a figuras proeminentes - grandes guerreiros e sacerdotes - que lideravam as tribos que viviam nos vilarejos da área que, mais tarde, deu origem a uma das maiores civilizações do mundo.

"A descoberta é um marco para o conhecimento da história romana", disse ele. "Permite-nos ter informação sobre a vida desses povos, até mesmo sobre a dieta".

Delfino disse que uma urna funerária contendo cinzas humanas foi descoberta na tumba, bem como fragmentos de ossos que parecem ser de ovelha. "Descobrimos as posses dessas pessoas, como miniaturas de lanças, vasos e escudos que reproduzem aspectos da vida do falecido", disse ele.

Foto: Arqueólogas catalogam os achados de tumba romana


  • Últimos Destaques
  • Invenções e Descobertas






  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "O segredo em negócios é saber alguma coisa que mais ninguém sabe." - Aristóteles Onassis