Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Clima e Meteorologia
Sexta-feira, 4 dez 2009 - 12h02

Rio Negro chega no limite de emergência, após cheia histórica

O nível do Rio Negro atingiu apenas 16 metros esta semana na região de Manaus (AM), no limite do nível de emergência de acordo com o Serviço Geológico do Brasil. No mês de junho deste ano, o nível do rio alcançou sua maior marca desde 1902, chegado a 29,69 metros.


Clique para ampliar

A queda significativa do volume de chuva na região nos últimos quatro meses é o motivo dessa grande variação. O Serviço Geológico alerta que a situação de seca ao longo da calha do Rio Negro deve continuar até fevereiro.

Imagens do satélite Landsat divulgadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) evidenciam a grande mudança no nível dos rios Negro e Solimões. No dia 10 de setembro o nível do Rio Negro estava em 25,64 metros. Já no dia 29 de novembro, o nível do rio aparece quase 10 metros mais baixo.

Cinco municípios ribeirinhos já decretaram situação de emergência no Estado do Amazonas: São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro, Manaquiri, Caapiranga e Anamã. Cerca de 14 mil famílias estão isoladas e sofrem com a falta de mantimentos. Os barcos que partem de Manaus com alimentos e combustível não conseguem mais atracar nos portos diante da falta de navegabilidade.

Os registros históricos do Serviço Geológico do Brasil mostram que a pior seca do Rio Negro aconteceu em 1917, quando o nível do rio chegou a 13,67 metros.


Fotos: Imagens comparativas feitas pelo satélite Landsat e disponibilizadas pelo INPE mostram a estiagem dos rios Negro e Solimões. A cena superior foi feita no dia 10 de setembro de 2009, quando o nível do rio Negro estava em 25,64 m. A segunda imagem, feita em 29 de novembro mostra o nível fluvial 10 vezes mais baixo. Nas cenas, a cobertura vegetal é vista em tons verdes enquanto as áreas sem vegetação são observadas em rosa. Os leitos dos rios são identificados em tons azuis escuros. Os círculos ajudam a identificar as áreas secas. Crédito: INPE/Landsat.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire