Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Sexta-feira, 4 jan 2013 - 09h40

Astronomia: Confira os astros que deverão dar um show em 2013

Atenção: Leia atualização Importante no final do artigo

O ano de 2013 nem bem começou e alguns eventos astronômicos já começam a chamar a atenção dos observadores profissionais e amadores. Cometas e asteroides já estão se aproximando da Terra e do Sol e nos próximos meses já darão o que falar.

Cometa C/2011 L4 Panstarrs
Clique para ampliar


Fevereiro - Asteroide 2012 DA14
O primeiro objeto a chamar a atenção neste ano de 2013 é sem dúvida o asteroide 2012 DA14. A rocha foi descoberta no final de fevereiro de 2012 por astrônomos do Observatório de La Sagra, na Espanha e de acordo com os últimos cálculos se aproximará da Terra no dia 15 de fevereiro de 2013, quando fará um rasante a apenas 27 mil quilômetros do nosso planeta.

Apesar de ser uma distância bem pequena - inferior a dos satélites geoestacionários - as chances de impacto contra a Terra são desprezíveis, estimada em zero na Escala Torino, que vai até 10. No entanto, a aproximação estimada para fevereiro de 2040 será de apenas 448 km de altitude.

Estima-se que 2012 DA14 tenha 57 metros de comprimento e uma massa de 120 mil toneladas. Se atingisse nossa atmosfera produziria um choque similar ao do impacto de Tunguska, ocorrido no início do século 20 acima da Sibéria.


Março tem 2 Cometas
O segundo objeto que chamará a atenção em 2013 é o cometa C/2011 L4 PANSTARRS, descoberto em 5 de junho de 2011 pela equipe do telescópio Panstarrs-1, de 1800 milímetros, localizado no Havaí.

Cálculos orbitais indicam que C/2011 L4 atingirá a menor distância da Terra em 5 de março de 2013, quando passará a apenas 150 milhões de quilômetros do planeta. Em 10 de março o cometa chegará ao periélio (máxima aproximação do Sol) e seu brilho poderá atingir até 4 magnitudes negativas, similar ao brilho do planeta Vênus.

Neste dia, a distância do objeto até o centro do Sol será de apenas 45 milhões de quilômetros, inserido no interior da órbita de Mercúrio.

Observações feitas em outubro de 2012 revelaram que a coma de C/2011 L4 PANSTARRS media aproximadamente 120 mil km de diâmetro e deverá crescer ainda mais à medida que o calor do Sol vaporiza o gelo e gás carbônico contido em seu núcleo


C/2012 F6 Lemmon
Também em Março, outro cometa que pode se transformar em uma bela surpresa é C/2012 F6 Lemmon, descoberto em 23 de março de 2012 pela equipe do Observatório de Mount Lemmon, nos EUA.

O cometa atingirá o periélio no dia 24 de março, mas será entre os dias 10 e 23 que C/2012 F6 dará seu show ao brilhar próximo da magnitude 3, quando poderá ser visto ao anoitecer na constelação do Escultor.

De acordo com a REA (Rede de Astronomia Observacional), entre 15 e 21 de janeiro C/2012 F6 brilhará perto da magnitude 7 na constelação do Cruzeiro, quando poderá ser observado com auxílio de um pequeno telescópio partir das 22h00 BRST (Hora de Verão).


Cometa C/2012 S1 ISON
Se os cálculos se confirmarem, C/2012 S1 ISON será o show de 2012. Estima-se que o brilho do objeto poderá chegar a nada menos que 19 magnitudes negativas, cerca de 40 vezes o brilho da Lua Cheia.

O que chama a atenção deste cometa não é sua aproximação com a Terra, prevista para dezembro de 2013, mas seu periélio, a distância mínima que chegará do Sol. Isso acontecerá em 28 de novembro de 2013, quando ISON se aproximará a apenas 1.1 milhão de quilômetros da superfície estelar.

Se sobreviver à escaldante aproximação, C/2012 S1 ISON poderá se transformar em um dos mais espetaculares cometas de todos os tempos.

Pequena Amostra
Esses quatro objetos são apenas uma amostra do que nos reserva o palco celeste de 2013. Ainda estamos no comecinho do ano e sem dúvida teremos muito mais pela frente, como as famosas tempestades solares que poderão se intensificar este ano já que em maio deveremos atingir o pico do ciclo solar 24. O ano está só começando...

Bons Céus!

Atenção: Atualização Importante
Até janeiro de 2013, os cálculos orbitais mostravam que em 2046 o asteroide poderia se aproximar a menos de 450 km da superfície, mas essa distância foi revista após uma nova série de observações feitas pelo Observatório de Las Campanas, localizado no sul do Deserto do Atacama.

As observações permitiram recalcular o shape da órbita e ficou constatado que a aproximação de 15 de fevereiro de 2013 fará o tempo de translação da rocha ao redor do Sol ficar 49 dias mais curto, diminuindo o período orbital de 366 para 317 dias. Em consequência disso, durante a aproximação de 2046 a distância mínima estimada passou de 450 km para cerca de 60 mil km do centro do planeta, sem qualquer risco de colisão.


Foto: No topo, foto do cometa C/2011 L4 Panstarrs, registrado pela equipe dos astrônomos Giovanni Sostero (1964 - 2012) e Ernesto Guido, do observatório Remanzacco, da Itália. A imagem foi feita com auxílio de telescópio remoto situado na Austrália em 10 de setembro de 2012. Na ocasião, a coma de C/2011 L4 Panstarrs foi estimada em 120 mik km. Créditos: Remanzacco Observatory, Apolo11.com.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Política é a guerra sem sangue enquanto a guerra é a política com sangue" - Mao Tsé-Tung