Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Quarta-feira, 23 abr 2014 - 11h00

Grande bola de fogo se rompe sobre o interior de São Paulo

Uma grande bola de fogo em processo de fragmentação foi observada na noite de segunda-feira cruzando céu de diversas cidades do interior de São Paulo. Esse é o segundo meteoro de grandes dimensões a ser registrado nos últimos dois meses sobre o Estado.

O intenso bólido cruzou o céu às 18h44 pelo horário de Brasília e de acordo com dados computados pela rede de observação de meteoros BRAMON, sobrevoou diversas cidades do Vale do Paraíba e Grande São Paulo.

Segundo Carlos Apodman Bella, ligado à BRAMON, o bólido se deslocava com uma baixa velocidade angular de cerca 10km/s e durante sua trajetória apresentou quatro explosões sendo que ao final apresentou uma clara fragmentação.

"Uma avaliação visual de seu comportamento durante a longa trajetória parece mostrar que ele possuía uma grande resistência à pressão exercida sobre ele, demorando a romper. Isto pode indicar que o corpo possuía uma alta densidade, talvez majoritariamente metálico", explicou Bella.

Meteoro em São Paulo - trajetóriaa
Clique para ampliar

Os pesquisadores da BRAMON ainda estão analisando as imagens capturadas pelas estações de Campinas e Mogi das Cruzes, com o objetivo de determinar a massa e a altitude final antes do dark flight, fase em que o meteoro se "apaga" mas continua em queda livre.

Essa é a segunda vez em menos de dois meses que um meteoro de dimensões aparentemente grandes é registrado pelas câmeras da BRAMON sobre São Paulo. A primeira ocorreu em 12 de fevereiro, quando as câmera de vigilância de Mogi das Cruzes e São Sebastião detectaram uma grande bola de fogo cruzando grande parte do litoral norte paulista.


Meteoro em Varginha
Cerca de 40 minutos depois da detecção do meteoro feita pela BRAMON, uma outra bola de fogo foi registrada acima do céu de Varginha, em Minas Gerais.


Meteoro em Varginha
Clique para ampliar


O evento foi registrado em foto pelo internauta Sergio Garcia e mostra um suposto objeto se fragmentando em vários pedaços.

Devido à grande diferença de tempo entre os dois eventos, é pouco provável que esteja relacionados. No caso de Varginha, os fragmentos parecem estar bem mais dispersos, lembrando a reentrada de possível lixo espacial.


BRAMON
Com cerca de dez câmeras ativas, a BRAMON vem obtendo um ótimo índice de registros de eventos de grande porte como este e a taxa de captura de bólidos tem sido de um por mês, o que supera largamente as expectativas iniciais.

Até final do ano as previsões apontam a implantação de mais 20 a 25 câmeras em todo território nacional, realizando uma cobertura sem precedentes dos eventos magníficos que eram subestimados nos céus brasileiros.

Se você tem interesse em participar da BRAMON e também quer montar uma estação de vigilância dos céus, entre em contato com a BRAMON através do email: bramon@bramon.com.br.



Artes: no topo, vídeo mostra a fulgurante trajetória do meteoro sobre diversas cidades do Vale do Paraíba e Grande São Paulo. As cenas foram registradas pelas estações de Campinas e Mogi das Cruzes, operadas por Marco Mastria e Wilson Alves. Na sequência, mapa mostra o trajeto da bola de fogo, calculado após triangulação feita a partir das imagens coletadas. Acima, fragmentação de objetos acima da cidade de Varginha, MG, ocorrida 40 minutos antes da observação do bólido em São Paulo. Créditos: BRAMON, Sergio Garcia, Apolo11.com.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"As leis não são feitas para o homem bom" - Sócrates