Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria:
Terça-feira, 15 jan 2019 - 08h51

Mega tsunami de 1.6 km pode ter contribuído com a extinção dos dinossauros

Uma recente simulação mostra que o mega impacto de asteroide ocorrido há 65 milhões de anos gerou uma onda gigante tão poderosa que pode ter contribuído de forma decisiva para a extinção dos dinossauros.

Extincao dos Dinossauros
As simulações feitas pela equipe de Range também mostram que o corpo celeste afundou mais de 1500 metros nos dez minutos que se seguiram à colisão.

O impacto ocorreu próximo à cidade de Chicxulub, na região da península de Yucatán, no México, e foi provocado por uma rocha espacial de 14 quilômetros de diâmetro. O choque foi tão violento que abriu uma cratera de 180 km de diâmetro.

O evento causou grandes mudanças geológicas e climáticas, diretas ou indiretas, que podem ser as responsáveis pela extinção em massa observada naquele período.

Embora existam outras teorias que tentam explicar a extinção dos dinossauros, o impacto deste corpo celeste, batizado de asteroide de Chicxulub, ainda é o mais aceito pelo comunidade científica.

Agora, um grupo de pesquisadores estadunidenses tenta demonstrar que boa parte dos vertebrados existentes naquela época pode ter sido dizimada por outro efeito indireto do impacto. De acordo com o estudo, o impacto do asteroide de Chicxulub também gerou um poderoso tsunami, que ao que tudo indica, teria provocado a maior onda submarina já conhecida.


Força Descomunal
Segundo Molly Range, ligada ao Departamento de Ciências da Terra e Meio Ambiente da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o impacto do corpo celeste liberou 29 mil vezes mais energia que o terremoto da Indonésia de 2004, que gerou o maior tsunami da era moderna e fez mais de 240 mil vítimas. De acordo com Range, o impacto levantou uma onda de 1600 metros, duas vezes maior que o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

As simulações feitas pela equipe de Range também mostram que o corpo celeste afundou mais de 1500 metros nos dez minutos que se seguiram à colisão.


Grande Alcance
Nos primeiros metros, o tsunami chegou a alcançar velocidades superiores a 140 quilômetros por hora, e foi seguido de centenas de réplicas menores que percorreram boa parte do planeta em alta velocidade.

Segundo os pesquisadores, nas primeiras 24 horas os efeitos do impacto do tsunami se estenderam desde o Golfo do México ao Atlântico.

Para se ter uma ideia, a maior onda já registrada na era moderna foi registrada nas Ilhas Campbell, na Nova Zelândia, em maio de 2018. De acordo com os cientistas, a onda tinha 23.8 metros de altura, 67 vezes menor que a onda gerada há 65 milhões de anos.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Todo discurso, escrito ou falado, é uma linguagem morta até que encontra um ouvinte desejoso e preparado" - Robert Louis Stevenson