Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Aventuras e Expedições
Terça-feira, 23 jan 2007 - 10h03

Astronautas e oceanógrafos prontos para estudar o fundo do mar

A observação das complexas interações entre os sistemas na Terra é o ponto comum entre os oceanógrafos e astronautas.

Os astronautas a bordo da ISS, a Estação Espacial Internacional, rotineiramente observam a superfície da Terra para visualizar as complicadas interações entre a atmosfera, o oceano, os continentes e a vida da superfície. Os oceanógrafos também são pesquisadores interdisciplinares e seus interesses incluem, entre outros, a geologia, química, hidrologia e biologia.

Em busca de conhecimento, um grupo de cientistas está sobre as águas do Pacífico Oriental, ao largo da costa do México, com o objetivo de preparar uam série de mergulhos em alta profundidade próximo à Elevação do Pacífico Leste, uma região da cadeia de dorsais médio-oceânicas.

As dorsais médio-oceânicas são uma região fronteiriça entre placas tectônicas, onde novas crostas oceânicas se forma pela ação vulcânica. O movimento constante entre as placas as separam, permitindo que fluxos de lava e calor saiam pelas frestas e fissuras criadas no leito submarino.

Circundando grande parte dos oceanos, as dorsais médio-oceânicas formam de longe a maior cadeia de montanhas da Terra.

A equipe de oceanógrafos, que no momento está a caminho da Elevação do Pacífico Leste, deverá estudar uma localidade situada algumas centenas de quilômetros ao sul de Manzanillo, no México. Em 2006, fluxos de lava brotaram do leito submarino criando uma nova crosta oceânica com diversas rachaduras, que deixam escapar o calor do magma. Como consequência, o calor produz uma zona de circulação hidrotermal que permite a sobrevivência de uma espécie bizarra de microorganismos, chamada chemosinteticos.

Os chemosinteticos não se alimentam da energia da fotossíntese, mas das substâncias químicas ricas em minerais, que chegam através das correntes quentes, vindas das rachaduras da crosta.

Para realizar as pesquisas no fundo do oceano, os cientistas utilizarão o mini-submarino Alvin, que entre outras missões, também foi usado na localização do navio Titanic. Manipulando câmeras e braços robóticos, os cientistas pretendem obter detalhes da lava sobre o leito oceânico e do fluxo de calor, o que permitirá estudar como este organismos interagem e afetam uns aos outros.

No próximo dia 26 de janeiro de 2007, os cientistas do Alvin, baseados no fundo do mar, farão uma conferência telefônica com a astronauta Suni Williams, a bordo da ISS. Williams, além de piloto, engenheira, física e matemática, é também doutora em biociêcias e tem entre suas funções, a pesquisa biológica nesta região. Durante a conferência, entre céu e mar, alunos dos Estados Unidos poderão debater e fazer observações.

Fotos - A imagem mostrada no topo da página, feita pelos astronautas da ISS no início de 2003, mostra as interações entre o continente e o oceano ao longo da costa do México, ao sul de Mazatlan e o arquipélago das Ilhas Marias. As ilhas, topo de uma das enormes montanhas submarinas, são uma manisfestação clara da interseção entre placas, que a partir do centro da Elevação do Pacífico Leste se propaga para o norte, em direção ao Sul do Golfo da Califórnia e ao sul até zona de subducção abaixo do extremo sul do México.

As ilhas são biologicamente importantes e abrigam a Reserva da Biosfera de Maria, habitat natural de espécies regionais de coelhos e diversos animais carnívoros. O arquipélago também é um importante refúgio de pássaros e animais marinhos.

Entre as ilhas e o continente, a imagem mostra correntes marítimas em forma de caracol, que brilham pelo reflexo causado pelo Sol. Ao longo da costa mexicana observa-se fluxos de sedimentos, trazidos ao Pacífico pela água que flui da lagoa Água Brava, na costa mexicana.

Na sequência de fotos vemos uma imagem computadorizada da Elevação do Pacífico Leste, feita através de batimetria e o submarino Alvin, que descerá até as profundezas da Elevação. Na última cena vemos a cientista Suni Willians, atualmente a bordo da ISS e participante do projeto.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Cada vez que eu indico alguém para um cargo, crio 10 inimigos e um ingrato" - Molière