Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Curiosidades e Conhecimento
Sexta-feira, 24 ago 2007 - 08h29

Astrônomo amador capta imagem de raríssimo fenômeno atmosférico

Como faz habitualmente todas as noites, o astrônomo amador Richard Smedley, morador da cidade de Broken Arrow, em Oklahoma, EUA, acionou sua câmera de alta sensibilidade na tentativa de capturar imagens de alguns meteoros cruzando o céu. O que Smedley não imaginava é que seu equipamento não iria capturar apenas o brilho das estrelas cadentes, mas algo muito mais raro e jamais fotografado dentro dos EUA: os Gigantic Jets.

Gigantic Jets, ou "jatos gigantescos", são descargas atmosféricas que saltam do topo das tempestades em direção à ionosfera, 80 quilômetros acima do topo das nuvens. São descargas elétricas gigantescas, poderosas e extremamente raras.

Os Gigantic Jets são tão raros que provavelmente a maioria das pessoas nunca presenciou um deles. De acordo com Oscar Van der Velde, cientista atmosférico do Laboratório de Aerologia da Universidade Paul Sabatier, na França, o fenômeno foi observado pela primeira vez no ano de 2001 em Porto Rico, pelo pesquisador Victor Pasko. Desde então, somente 30 ocorrências foram registradas em todo o mundo, a maior parte delas em alto-mar e apenas duas em áreas continentais. O fenômeno nunca havia sido observado nos EUA.


Jatos enormes
De acordo com Smedley, os Gigantic Jets, ou GJs, vistos na imagem, eram muito mais brilhantes do que os meteoros comuns que costuma observar. "Para ter uma idéia do tamanho, considere que os GJs foram produzidos em uma tempestade que estava a mais de 160 quilômetros de distância, no Estado do Missouri. Isso significa que tinham mais de 80 quilômetros de comprimento, a partir do topo da nuvem", disse Smedley.

Por conectarem as tempestades e a ionosfera, os Gigantic Jets desempenham algum papel no percurso da eletricidade ao redor do planeta, mas o tamanho desse papel ainda está sendo estudado. "Ninguém sabe exatamente. Estamos apenas no início das nossas pesquisas e o vídeo de Oklahoma é sem dúvida uma valiosa fonte de informações para nossas pesquisas", disse Van der Velde.

As imagens feitas por Smedley foram tomadas por acaso e mesmo assim permitiram detectar o raro fenômeno. E se diversas pessoas tentarem fazer o mesmo, apontando suas câmeras à noite para as tempestades, na tentativa de registrar o fenômeno? Será que os Gigantic Jets são tão raros assim?

Experimente!

Fotos: Fotogramas extraídos do vídeo original mostram os Gigantic Jets, como capturados pelo astrônomo amador Richard Smedley, em 20 de agosto de 2007. Clique sobre as fotos e veja o vídeo - 4.5 mbytes







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles