Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Aventuras e Expedições
Quarta-feira, 23 mai 2007 - 09h24

Cientistas partem em busca da nascente do Amazonas

Você sabe dizer exatamente onde nasce o Rio Amazonas? E o seu tamanho real, qual seria? Se você não sabe, não se preocupe, pois ainda não existe consenso sobre elas.

Mas o mistério pode estar perto do fim.

Procurando dar uma resposta definitiva a essas perguntas, uma equipe internacional de pesquisadores, formada por brasileiros e peruanos, partirá em expedição rumo às prováveis nascentes do rio Amazonas, e terá como objetivo definir com precisão a real localização do lugar onde nasce o maior rio do mundo.

Fazem parte da expedição, pesquisadores brasileiros do INPE, Instituto de Pesquisas espaciais, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, ANA, Agência Nacional das Águas e IGN, Instituto Geográfico Nacional, do Peru, de onde partiu o convite para a expedição, e cuja equipe já se encontra na cordilheira dos Andes desde segunda-feira (21 de maio).

Esta é a primeira vez que a questão é tratada de comum acordo entre os países da América do Sul. O resultado da pesquisa será apresentado no dia 31 de maio, em Lima, Peru, durante seminário internacional e passará a constar em todos os novos mapas do continente.

Durante os dez dias que deverá durar a expedição, serão realizadas medições nos dois locais que disputam o título de nascente do rio. O primeiro deles se localiza na região da quebrada da Carruhasanta em Nevado de Mismi, um pico de origem vulcânica localizado nos Andes peruanos, a 5.597 metros acima do nível do mar. Dez quilômetros dali, o segundo local das medições ergue-se a 5.515 metros de altitude, na região de Queuisha também conhecida como quebrada de Apacheta.

Será considerado a nascente do rio Amazonas o local que estiver mais distante de sua foz, no Pará. Para isso o IBGE e IGN definirão os locais exatos dos dois pontos que serão medidos. Em seguida serão implantadas estações geodésicas em cada um dos marcos, que servirão de referências para equipamentos os equipamentos de GPS. Todos os dados recolhidos serão processados pela Coordenação de Geodésica do IBGE, definirá as novas coordenadas da nascente do rio.

De acordo com Oton Barros, pesquisador do INPE que integra a expedição científica, os técnicos brasileiros irão tomar medidas de natureza cartográfica, hidrológica e ambiental. Segundo o pesquisador, as imagens de satélite revelam que o Amazonas se origina em uma das quebradas, ou córregos, que alimentam o rio Lloqueta, principal formador do Apurimac, ou Alto Ucayalli. Por isso as medições se concentrarão nestas regiões.

Além das instituições científicas, fazem parte da expedição a jornalista Paula Saldanha e o documentarista Roberto Werneck. O objetivo é a criação do documentário "Expedição Científica à Nascente do Rio Amazonas", que conta com o apoio oficial do governo peruano.

Fotos: No alto, região do Nevado Mismi, uma das regiões andinas candidatas à nascente do Amazonas. Acima, imagem do satélite sino-brasileiro CBERS-2 do rio Lloqueta e suas duas principais quebradas (córregos). À direita a quebrada Carruahsanta e à esquerda a quebrada Apacheta. Cortesia: INPE.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles