Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Curiosidades e Conhecimento
Quinta-feira, 12 nov 2009 - 07h55

Cúpula geodésica no Polo Sul poderá ser remontada nos EUA

Os membros da estação Amundsen-Scott, no Polo Sul, não querem deixar para trás a experiência e história de três décadas vividas dentro de uma cúpula geodésica construída na região. A estação que abrigou cientistas e especialistas por anos está prestes a ser demolida nos próximos meses.


Clique para ampliar

Na cúpula geodésica painéis triangulares se combinam de modo a formar uma pirâmide. Sua estrutura resulta numa meia esfera com extraordinária resistência e leveza.

Veteranos no Polo Sul têm então, uma proposta: desmontar a estrutura de alumínio de quase 17 metros de altura, parte por parte, para que ela seja remontada nos Estados Unidos.

O grupo alega que a cúpula é uma marca do programa norte-americano na Antártida e não pode ser esquecida. “Se você já viu algo sobre o Polo Sul, aquela cúpula sempre foi o símbolo que você viu", disse Billy-Ace Baker, ex-operador de rádio da Marinha na Antártida e fundador da Old Antarctic Explorers Association, envolvida na causa.

Quando a cúpula geodésica foi construída na Antártida foi preciso dois verões e muito esforço de engenheiros e trabalhadores. Com 50 metros de diâmetro, o local era a principal estrutura da estação Amundsen-Scott do Polo Sul. Não há janelas e dentro dela foram montadas construções modulares para os moradores temporários que chegavam a 200 no verão e 50 no inverno rigoroso. Entretanto, ela não vem sendo muito utilizada nos últimos anos e foi substituída por uma construção de dois andares.

A Fundação Nacional da Ciência (NSF) que controla programas no Polo Sul, já concordou em remover 45 painéis triangulares da parte superior para serem instalados em um museu da Marinha em construção em Port Hueneme, Califórnia.

A parte principal da cúpula tem 904 painéis, 1.448 escoras no total e está presa por cerca de 60 mil parafusos. Essa estrutura teria que ser retalhada. A remoção inteira da cúpula deve acontecer até março do ano que vem.

Lee Mattis, engenheiro que participou de sua construção, estimou que a remontagem da cúpula nos Estados Unidos, poderá ultrapassar em US$ 500 mil o orçamento de US$ 150 mil que a NSF tem a disposição. Os veteranos correm contra o tempo e tentam atrair grupos privados que banquem o projeto.


Foto: Membros da estação polar Amundsen-Scott posam frente à cúpula geodésica, em foto simbólica antes da desativação. Crédito: NOAA.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire