Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Energia
Quarta-feira, 22 jun 2005 - 07h19

Vela solar é lançada mas comunicações estão interrompidas

Autoridades do programa espacial russo informam que não está claro se a vela solar Cosmos-1 conseguiu atingir a órbita esperada.

Um foguete Volna disparou a Cosmos-1 rumo ao espaço às 16h46 (hora de Brasília), e os contatos esperados com o veículo não se confirmaram até agora.

Segundo Lou Friedmann, presidente da Sociedade Planetária, um dos grupos financiadores da vela, um dos contatos chegou a ter início, mas foi interrompido. "Pode ser normal, ou pode ser uma anomalia", disse Friedmann.


Foguete Volna dispara vela solar a partir de submarino no Mar de Barents

Terça-feira, 21h00 - A vela espacial Cosmos-1, projetada para receber impulso da luz do Sol, foi lançada ontem, terça-feira, de um submarino russo, como parte de um projeto de organizações privadas para tentar o primeiro vôo controlado com esse tipo de tecnologia.

O foguete Volna disparou a vela a partir de um submarino no Mar de Barents às 23h46, hora de Moscou (16h46 de Brasília).

Depois de lançada, a estrutura que pesa cerca de 100 quilos deverá atingir uma órbita de 800 km de altura, tirando fotos da Terra durante quatro dias antes de desenrolar as oito velas de seu interior, formando um círculo.

O objetivo da missão é testar o conceito de navegação espacial propelida por luz solar - a pressão tênue da radiação do Sol contra as lâminas espelhadas da vela será a fonte do impulso da Cosmos-1.

Embora esse tipo de propulsão seja lento para acumular velocidade, o impulso é constante, e a nave não precisa carregar o peso de tanques de combustível. Por esse motivo, o conceito da vela solar é visto como uma das principais soluções para missões aos planetas mais distantes e rumo a outras estrelas.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco