Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Espaço - Brasil no Espaço
Terça-feira, 18 set 2007 - 10h00

Tudo pronto para o lançamento do satélite CBERS-2B

Apesar da distância que separa os dois países, China e Brasil têm hoje à noite um encontro marcado. Exatamente às 23h00 pelo horário de Brasília, um foguete do tipo Longa Marcha 4B, carregando uma preciosa carga, será lançado do Centro Espacial Taiyuan, na província de Shanshi.

Atualização: Satélite sino-brasileiro CBERS-2B é lançado com sucesso na China

A carga, desenvolvida em parceria entre engenheiros do INPE e da CAST, a Academia Chinesa de Tecnologia Espacial, é o terceiro satélite de sensoriamento da série CBERS, que se iniciou em 14 de outubro de 1999 com o lançamento do satélite CBERS-1.

O CBERS-1 operou com perfeição até agosto de 2003. Dois meses depois um novo lançamento colocou em órbita o segundo satélite da série, o CBERS-2, idêntico ao primeiro.

O CBERS-2B, que será lançado hoje, teve sua construção decidida em 2005 pelo consórcio sino-brasileiro e tem as mesmas características de seus antecessores. O objetivo da missão é evitar uma possível falta de imagens feita pelo CBERS-2 daqui alguns anos, no final da sua vida útil, já que quando CBERS-3 for lançado, o CBRERS-2 poderá não estar mais em operação.


O satélite
O satélite possui três câmeras imageadoras a bordo: CCD, WFI e HRC, esta última uma câmera pancromática de alta resolução, capaz de separar objetos de até 2.5 metros. Esta diversidade de câmeras atende a múltiplas necessidades, desde o planejamento urbano, que requer alta resolução espacial, até aplicações que precisam de dados freqüentes, mas não tão detalhados, como a agricultura ou desmatamentos.

Desde 2004, quando começou a distribuição gratuita das cenas captadas, mais de 320 mil imagens foram “baixadas” por mais de 15 mil usuários ligados a instituições de pesquisa, universidades, organizações não governamentais e empresas privadas.

Os satélites da série CBERS possuem características muito semelhantes. O corpo principal mede 1.8 m x 2.0 m x 2.2. Os painéis solares, de 16 metros quadrados de área, são capazes de produzir 1100 Watts de potência, que são armazenados em dois conjuntos de baterias de níquel-cádmio, com capacidade de até 30 amperes. O sistema de propulsão é baseado em hidrazina e permite as eventuais correções de posicionamento dentro da órbita.


Órbita
Uma vez em órbita, o CBERS-2B permanecerá em uma altitude de 778 quilômetros, completando uma volta em torno da Terra a cada 100.26 minutos. Sua órbita é hélio-síncrona, ou seja, cruza o equador sempre na mesma hora solar, às 10h30 da manhã.

A primeira passagem do CBERS-2B sobre o território brasileiro ocorrerá às 10h00 da manhã da quarta-feira. Durante essa passagem, diversos dados de telemetria serão captados e decodificados, permitindo aos engenheiros brasileiros uma análise mais detalhada do funcionamento dos diversos sistemas internos.

Artes: No topo, diagrama mostra todas as fases de lançamento do satélite CBERS-2B. Acima, integração dos diversos módulos componentes do satélite. Créditos: INPE.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco