Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Aventuras e Expedições
Quinta-feira, 24 fev 2005 - 14h04

O vôo histórico GlobalFlyer está a um passo de se realizar

O centro de controle da missão, baseado no Texas, informou na noite de ontem que o lançamento do Virgin Atlantic GlobalFlyer deverá ocorrer na próxima segunda ou terça-feira.

Se tudo correr conforme o planejado, o piloto Steve Fosset espera quebrar mais um recorde da aviação. Desta vez dando a volta ao mundo sem paradas ou reabastecimento, a bordo de um aeroplano de 35 metros de envergadura, o GlobalFlyer.

Segundo os coordenadores da missão, segunda ou terça-feira deverão ser dias secos, de céu limpo e vento calmo em toda a região de Salina, no estado do Kansas, de onde deverá partir a aeronave.

Originalmente programado para ser lançado no dia 2 de fevereiro, as condições do tempo cancelaram o vôo por diversas vezes.

Ontem também foi confirmada a rota que o GlobalFlyer deverá fazer nas suas oitenta horas de vôo. "A rota está sujeita a mudanças mas tentaremos ficar o mais dentro possível dos planos", disse Kevin Stass, diretor da missão.

Veja a Rota
Para completar a volta ao mundo, o Globalflyer deverá seguir as regras da FAI, Federation Aeronautique Internationale. Isso significa que a aeronave deverá passar por 80 pontos pré-determinados.

Para isso o GlobalFlyer conta com moderna tecnologia de posicionamento baseada em GPS, que segundo os dirigentes da missão, deverá corrigir o posicionamento da aeronave durante o percurso.

O vôo deverá partir da Salina, no Kansas, em direção a Chicago, no sul dos Grandes Lagos. Ao cruzar o Canadá deverá cruzar as cidades de Londres, Toronto e Montreal até alcançar a região de Gander em Newfoundland (Terra Nova), onde o GlobalFlyer deverá receber combustível e iniciar sua jornada, cruzando o Atlântico na direção leste.

Quando o piloto Steve Fosset chegar à Europa, deverá cruzar a Irlanda, Wales, Inglaterra, França, Itália e Grécia, alcançando o Oriente Médio.

Stass explicou que as permissões para esta parte do vôo são difíceis de serem autorizadas junto aos controladores de vôo, mas disse que a equipe não está esperando algum tipo de problema. Ele lembra que durante o vôo ao redor do mundo com o avião Voyager, foi perdida uma grande quantidade de combustível, já que foram impedidos de usar o espaço aéreo Líbio e precisaram contornar o país.

"Já conversamos com as mais importantes autoridades de vôo e prestamos todas as informações necessárias", disse Stass. "Voaremos sobre o Egito, Arábia Saudita, Barein, Emirados Árabes Unidos e Oman, antes de passar pelo Paquistão, Índia, Bangladesh, e Myamar”.

Após completar mais esta etapa, O GlobalFlyer deverá cruzar o gigantesco território chinês e alcançar o Japão, iniciando a fase final da jornada. Nesta etapa a aeronave sobrevoará o oceano Pacífico, passando sobre as ilhas Midway e Honolulu, antes de entrar novamente em território norte-americano, pelo sul da área de Los Angeles.

Stass recomenda aos observadores em terra que desejarem ver o vôo do GlobalFlyer a utilizar telescópios ou lunetas, mas não acha que seja uma tarefa fácil, já que a aeronave estará voando 4 mil metros acima dos vôos convencionais. "Mas não tenho dúvidas que dará para ver a trilha de condensação do aparelho".

Acompanhe ao vivo

O Apolo11 transmitirá o vôo histórico de Steve Fosset através de três câmeras que enviarão imagens ao vivo. Uma delas se localizará dentro do cockpit e enviará imagens do piloto. A segunda câmera se posicionará aleatoriamente do lado de fora da aeronave e enviará imagens dos locais sobrevoados. Uma terceira câmera transmitirá as imagens ao vivo do controle da missão, no Texas.

Aliado as três câmeras, um mapa(direita)atualizado a cada 5 minutos mostrará a posição onde está o GlobalFlyer, bem como dados de posicionamento global enviados pelos GPS a bordo a aeronave.

Clique aqui e veja como acompanhar o vôo histórico do GlobalFlyer







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"As leis não são feitas para o homem bom" - Sócrates