Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Exploração Espacial
Terça-feira, 12 ago 2008 - 09h49

Cassini faz vôo rasante e se aproxima de lua de Saturno

Poucos minutos após as 02h00 da madrugada de segunda-feira (11/08) uma das gigantescas antenas da Rede do Espaço Profundo, localizada em Canberra, na Austrália, começou a receber um fraco e aguardado sinal vindo do espaço. Do outro lado do mundo, na Califórnia, engenheiros e cientistas do JPL, Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, comemoravam. E não era pra menos.

Enceladus

O tênue sinal marcava o início da transmissão da série de dados científicos enviados pela sonda américo-européia Cassini, que acabava de completar sua maior aproximação da lua saturniana Encéladus, chegando a apenas 50 quilômetros de distância da superfície. Durante o momento de maior aproximação a sonda Cassini se deslocava a 17.7 km/s (64 mil km/h).

"Estamos muito contentes em informar que a Cassini entrou em contato e já está enviando dados à Terra", disse Julie Webster, chefe da equipe de cientistas da Cassini junto ao JPL. "O downlink (recepção dos dados) vai continuar por toda a noite e também pela manhã!", exclamou a pesquisadora.

Durante o período de aproximação as câmeras e outros instrumentos de sensoriamento estavam voltados ao pólo sul de Encéladus, uma região notadamente marcada por uma série de fissuras paralelas de onde emanam gêiseres de gelo e jatos de vapor. Os cientistas acreditam que esse material seja fonte que alimenta o anel-E de Saturno e esperam aprender sobre o mecanismo que alimenta os gêiseres.

"Existem muitas dúvidas e ansiedades sobre o que a aproximação de hoje poderá revelar", disse Bob Pappalardo, projetista chefe da Cassini. "Pelos próximos dias e semanas nossas equipes analisarão as fotos e dados que poderão trazer novas pistas desse mundo pequeno, mas muito ativo", completou Pappalardo.

Duas novas aproximações estão previstas para outubro de 2008. Na primeira a nave deverá atingir apenas 25 km de distância da superfície.


Encéladus
Descoberta em 1789 por William Herschel, Encéladus é a sexta maior lua de Saturno. Até a passagem das sondas Voyager nos início de 1980, pouca coisa se sabia sobre o satélite, além da identificação de água gelada em sua superfície. As Voyagers mostraram que Encéladus tem 500 quilômetros de diâmetro e reflete quase 100 da luz que recebe.

Em sua passagem próxima à Saturno, a Voyager 1 revelou que Encéladus órbita na densa camada do anel-E do planeta, indicando uma possível associação entre os dois. Ao mesmo tempo, a Voyager 2 mostrou que a despeito do seu pequeno tamanho, Encéladus tem uma grande gama de terrenos diferentes, que variam desde superfícies antigas e fortemente crateradas até regiões mais jovens e tectonicamente deformadas.

Encéladus é um dos três únicos objetos do Sistema Solar exterior onde são registradas atividades vulcânicas. Os outros dois são as luas Io de Júpiter e Triton, de Netuno.

Foto: Pólo norte de Encéladus, fotografado pela sonda Cassini em março de 2008. No detalhe, concepção artística mostra a sonda em órbita de Saturno. Créditos: JPL/NASA.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco