Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Exploração Espacial
Quarta-feira, 14 mar 2007 - 10h18

Cientistas confirmam que lua de Saturno tem condições de abrigar vida

A Conferência de Ciência Lunar e Planetária, realizada no Texas e que reúne diversos cientistas e estudiosos planetários informou ontem que Enceladus, uma das luas de Saturno, tem todas as condições de gerar vida da forma como conhecemos em nosso planeta.

De acordo com o relatório, os gêiseres, enormes colunas de água e vapor que emanam do pólo sul de Enceladus, saem de uma fonte calórica de material radioativo, o que deu a pista aos estudiosos para a solução de algumas dúvidas. Esses gêiseres haviam sido registrados pela sonda Cassini em 2005 e desde então os cientistas tentavam determinar os mecanismos que empurram os jatos até a superfície, onde a temperatura é de 200 graus negativos.

Análises posteriores do espectrômetro a bordo da sonda mostraram a presença de água, gelo, pequenas quantidades de nitrogênio, metano, dióxido de carbono, propano e acetileno.

De acodo com alguns estudos, Enceladus se formou há aproximadamente 4,5 bilhões de anos como resultado da mistura de gelo e rochas que provavelmente continham isótopos radioativos de ferro e alumínio. Por vários milhões de anos, o decaimento radioativo dos isótopos produziu a elevação da temperatura e também um núcleo rochoso coberto por uma capa de gelo.

Se este modelo ainda teórico for confirmado, os especialistas acreditam que a lua Enceladus teria os elementos necessários para a criação e desenvolvimento de vida: a fonte de calor, materiais orgânicos e água em forma líquida.

De acordo com Dannis Matson, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, localizado em Pasadena, Califórnia, o modelo aponta para a existência de uma mistura orgânica, uma fonte de calor e água e todos os ingredientes para a criação de formas de vida, mesmo que primitivas.

"Não estamos dizendo que encontramos vida, mas temos evidências de um lugar onde todas as condições estão presentes. Essa é a primeira vez que isso acontece e estamos muito empolgados", explicou Matson, que é diretor da Divisão Cassini, um projeto conjunto da Nasa, da Agência Espacial Européia e da Agência Espacial da Itália.

A sonda Cassini foi lançada em 15 de outubro de 1997 e por duas vezes orbitou o planeta Vênus, a primeira em abril de 1998 e a segunda em junho de 1999, com o objetivo de ganhar mais velocidade para seguir em direção à Saturno. Em 30 de dezembro a sonda atingiu Júpiter, que também a acelerou ainda mais com destino à Saturno.

Para colher os dados analisados, que deram sustentação à pesquisa divulgada, a sonda Cassini orbitou Encedalus entre 15 de fevereiro e 31 de março de 2005. Na ocasião a sonda chegou a apenas 504 quilômetros da lua de Saturno.

Fotos: No topo da página a sonda Cassini antes de ser lançada em 1997. Na seqüência Imagem de Encedalus, a sexta-maior lua de Saturno, fotografada pela sonda a apenas 505 quilômetros de distância.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco