Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Exploração Espacial
Quarta-feira, 19 jan 2005 - 15h42

Cientistas dizem que Titã deve ter lagos e rios

Solo esponjoso, como se fosse de areia ensopada (ou um creme de areia), com muitos torrões gelados, e o céu é fortemente alaranjado. Assim pode ser descrita a paisagem de Titã, a maior lua de Saturno, do ponto onde a sonda Huygens pousou na última sexta-feira (14)

Das imagens feitas do alto, durante a bem-sucedida descida através da atmosfera, os pesquisadores da ESA - Agência Espacial Européia arriscam um palpite: "Aquele é o único lugar (no Sistema Solar, além da Terra) onde deve haver lagos e rios agora", disse o diretor da ESA, David Southwood.

Vai levar tempo até que estas impressões sejam confirmadas ou refutadas por estudos detalhados. Mas as primeiras imagens feitas em Titã já permitem juntar suposições do passado com alguns dados reais.

Lago e solo - Uma das fotos reveladas pela ESA, feita a cerca de 8 quilômetros de altitude, mostra uma superfície complexa, com um possível lago de grandes proporções, com uma "orla" bem visível. No trecho que parece ser "solo", os pesquisadores viram fendas de forma parecida com "canais de drenagem".

"É quase impossível resistir à tentação de dizer que são canais de drenagem, mas não podemos ver lá as coisas como as vemos na Terra", comentou Marty Tomasko, chefe da equipe de imagens.

Da mesma forma, "lago ou mar" não podem ser vistos em Titã como são os mares e lagos da Terra. Lá não devem ser líquidos como conhecemos aqui, mas provavelmente uma "papa" de hidrocarbono quase congelada - a temperatura local é de cerca de 180 ºC negativos -, com a cor e a consistência de argila ensopada.

Torrões congelados - As informações coletadas pela Huygens mostraram que a própria superfície onde a sonda pousou tem a consistência de argila ou areia muito molhada, sob uma crosta fina e gelada, segundo John Zarnecki, que dirige estes estudos.

Estes dados contrariam as primeiras impressões, causadas pela primeira foto do solo de Titã: parecia uma superfície seca e pedregosa. Segundo os cientistas da ESA, o que seriam rochas - aparentemente grandes - devem ser pequenos torrões de "argila" congelada.

Tudo sugere que, se a Huygens pudesse caminhar pela superfície de Titã, a partir do ponto em que pousou, começaria sobre uma massa mais consistente de sedimentos de hidrocarbono, passando por pontos onde esta massa é mais mole e cremosa, até chegar a lagos e lagoas de etano.

Quanto à atmosfera, os cientistas acreditam que haja um regime climático no satélite de Saturno. Mas os sons captados durante a descida da Huygens não indicam que haja raios e trovoadas.

Estadão Online







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Dignidade não consiste em possuir honrarias, mas em merecê-las" - Aristóteles