Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Espaço - Tecnologias
Segunda-feira, 15 jan 2018 - 09h53

EUA desligam imagens do satélite meteorológico GOES-13

Com o propósito de atualizar sua constelação de satélites ambientais, a Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA, NOAA, encerrou as operações do satélite GOES-13. As imagens estão sendo substituídas pelas do poderoso satélite GOES-16, mas a interrupção pegou muita gente de surpresa.

Imagem de satelite registrada pelo satelite GOES-16 no comprimento de onda de 6.9 micrometros.
Imagem de satelite registrada pelo satelite GOES-16 no comprimento de onda de 6.9 micrometros.

A interrupção do fornecimento de dados do GOES-13 ocorreu nos primeiros minutos de 8 de janeiro, após mais de 10 anos de transmissão ininterrupta de imagens da Terra.

Embora a substituição fosse de conhecimento de todos os que lidam com imagens ambientais, ela pegou muita gente de surpresa, que esperava que a interrupção total acontecesse somente em março, quando os EUA lançarão o irmão gêmeo GOES-S.

O resultado da interrupção foi bastante sentido por meteorologistas em todas as partes do mundo, inclusive no Brasil, que usavam as imagens do GOES-13 na análise das movimentações de massa de ar, frentes frias e deslocamentos de tempestades.

O Apolo11 recebeu muitos emails de pessoas que usavam as imagens disponíveis no site, questionando por que as imagens de satélites estavam paradas.

"A verdade é que pouca gente se preparou para essa interrupção. Oficialmente, as imagens foram desligadas no dia 31 de dezembro, mas até o dia 8 de janeiro ainda estavam disponíveis", disse Rogério Leite, diretor do portal Apolo11.

Segundo Leite, o site deverá repor as imagens nos próximos dias, já que todos os scripts usados para recebimento oficial dos dados estão sendo refeitos.

O GOES-16 é capaz de imagear a Terra em 16 comprimentos de ondas diferentes, que combinados poderão fornecer importantes dados sobre a atmosfera da Terra.

Uma das imagens mais importantes geradas pelo GOES 16 é aquela obtida pelo sensoriamento na banda de 6.9 micrômetros, uma das três faixas de vapor de água do meio troposférico. Neste comprimento de onda, dentro do infravermelho, é possível "enxergar" e rastrear o vapor de água em nível médio e superior, identificar correntes de vento (jet stream) e estimar as temperaturas das camadas altas e baixas da atmosfera, além de obter importantes para a previsão de formação de furacões.

"A imagem da banda de 6.9 micrômetros será a que publicaremos no Apolo11. Ela será animada e atualizada de hora em hora e permitirá aos nossos usuários acompanharem as condições climáticas da Terra quase instantaneamente", explicou Leite.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O segredo em negócios é saber alguma coisa que mais ninguém sabe." - Aristóteles Onassis