Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Invenções e Descobertas
Quinta-feira, 13 jul 2006 - 06h31

Cientistas europeus continuam montagem do Grande Colisor de Hádrons

Cientistas ligados ao CERN, Organização Européia de Pesquisa Nuclear, terminaram ontem e instalar a metade dos 1232 magnetos bipolares gigantes, que fazem parte do LHC, ou Grande Colisor de Hádrons, o maior e mais potente acelerador de partículas até hoje contruído.

De acordo com o CERN, o LHC terá 27 km de circunferência e deverá começar a operar no final de 2007. Cada magneto bipolar tem 15 metros de comprimento e pesa 35 toneladas. Quando terminado, o LHC será capaz de colidir feixes de protons com energia de 14 TeV.

O TeV é a unidade de energia usada no estudo da física das partículas e equivale a energia de vôo de um mosquito. O que faz o LHC tão extraordinário é que ele é capaz de concentrar essa energia em um espaço 1 trilhão de vezes menor que um mosquito.

Ontem foi instalado o magneto de número 616.

As bobinas supercondutoras que envolvem os magnetos permitem a passagem de correntes elétricas elevadíssimas. Operando a 300 graus abaixo de zero, a mesma temperatura do espaço profundo, quase não há perda de energia.

Os campos magnéticos poderosíssimos, criados pelos magnetos, serão então capazes de desviar a trajetória de partículas lançadas no túnel do colisor com velocidades próximas à da luz.

No total, o colisor, que já consumiu 3,9 bilhões de euros, terá 1.746 magnetos. Os outros 514 serão quadripolares. O LHC pretende simular as condições que se seguiram à origem do Universo. Pretende-se avançar no conhecimento sobre o que é massa, a natureza da matéria escura - cuja natureza ainda é desconhecida, mas que aprece compor 95% do Universo - e a existência do bóson de Higgs, uma partícula hipotética e que dotaria partículas de massa. Se essa partícula realmente existir, o LHC será capaz de detectá-la.

Foto: Vista de um dos aceleradores do no interior do túnel de 27 km.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire