Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Sexta-feira, 17 mai 2013 - 10h16

Meteoroide atinge a Lua e produz maior explosão já observada

Um intenso flash de luz foi provocado pelo impacto de uma rocha de 40 quilos que atingiu a região conhecida como Mar das Chuvas. De acordo com os pesquisadores, o brilho foi tão forte que pode até ser notado até mesmo à vista desarmada.

Impacto_Lunar
Clique para ampliar

O impacto ocorreu no dia 17 de março de 2013 e o primeiro alerta do choque do meteoroide foi emitido pelo MSFC (Marshall Space Flight Center), da Nasa, após uma análise rotineira das imagens registradas por uma das redes de telescópios robóticos.

De acordo com o cientista Bill Cooke, diretor do Escritório de Monitoramento de Meteoroides da Nasa, o flash registrado era pelo menos 10 vezes mais intenso que qualquer outro já observado. Durou cerca de 1 segundo e atingiu o brilho de uma estrela de magnitude 4.

"Qualquer pessoa que estivesse observando a Lua naquele momento poderia ter visto o brilho", disse o analista do MSFC, Ron Suggs.

Cálculos posteriores indicaram que o impacto foi produzido por uma rocha de cerca 40 centímetros de diâmetro e 40 quilos de massa. Com a velocidade estimada em 90 mil km/h, a energia liberada no choque foi equivalente a 5 toneladas de TNT.

Após a confirmação, controladores da missão da sonda LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter) foram notificados e passaram a monitorar a região do impacto. Para os especialistas, o meteoroide pode ter criado uma cratera de cerca de 20 metros, o que a tornaria um alvo fácil para ser registrado pela nave quando passar sobre o local indicado.

Local do impacto lunar
Clique para ampliar


Monitoramento da Lua
Para Cooke, esse impacto lunar fez parte de um evento muito maior.

"Na noite de 17 de março, câmeras de céu amplo (All Sky Câmeras) da NASA e da Universidade Western Ontario registraram um número atípico de meteoros penetrando a atmosfera da Terra. Essas bolas de fogo viajavam ao longo de órbitas quase idênticas entre a Terra e o Cinturão de Asteroides, o que significa que a Terra e a Lua podem ter sido bombardeadas pelo mesmo enxame de meteoroides", explicou Cooke.

Um dos objetivos do programa de monitoramento lunar é identificar novas esteiras de fragmentos que possam representar algum risco dentro do sistema Terra-Lua. Como os dois eventos parecem estar relacionados, o impacto do dia 17 de março parece preencher os critérios do programa.


Artes: no topo, o impacto lunar visto quadro a quadro após reprocessamento dos frames. Na sequência, vídeo mostra o momento do impacto. Acima, localização de diversos impactos lunares e a localização do evento de 17 de março de 2013. Créditos: Nasa, Apolo11.com.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Dignidade não consiste em possuir honrarias, mas em merecê-las" - Aristóteles