Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Espaço - Onibus Espacial
Quarta-feira, 3 jun 2009 - 08h49

Ônibus espacial pega carona e volta pra casa de 747

Após ter realizado uma das mais importantes missões em órbita da Terra e ter percorrido nada menos que 8.5 milhões de quilômetros, o ônibus espacial Atlantis pegou carona nas costas de um jato 747 e chegou no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, na noite de terça-feira. A carona foi necessária devido às más condições do tempo no dia da aterrissagem, que impediram que o cargueiro espacial pousasse em segurança.

O avião partiu em uma longa jornada que teve início na segunda-feira (1 de junho) na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, onde a Atlantis pousou no último dia 24 de maio. Em seguida a dupla pousou na pista militar de Biggs, em El Paso, no Texas, onde permaneceu até o amanhecer. Dali, um novo voo foi feito até Santo Antonio, também no Texas, onde o 747 foi reabastecido e seguiu viagem até outra base militar em Columbus, no Estado do Mississippi e só então se dirigiu para a Flórida, onde pousou às 19h53. O percurso total da viagem foi de 4 mil quilômetros.


Inevitável
O custo estimado desse tipo de transporte é superior a 1 milhão de dólares e foi evitado ao máximo pelos diretores da Nasa. O objetivo era pousar o ônibus espacial no dia 22 de maio na Flórida, mas o tempo severo obrigou a Atlantis permanecer em órbita dois dias além do previsto, na esperança de que o tempo melhorasse. Como não foi possível, os controladores concordaram em pousar o cargueiro espacial na base militar californiana, do outro lado do país.

O pouso encerra uma das mais complexas missões em órbita da Terra e que teve como objetivo o conserto e upgrade do telescópio espacial Hubble. Os trabalhos foram realizados pela missão STS-125, após uma jornada de 13 dias e 5 passeios espaciais.


747 Modificado
A primeira vez que a Nasa utilizou esse método de transporte foi durante os testes iniciais do cargueiro espacial em 1977, quando o ônibus espacial Enterprise foi levado de carona até o local do pouso e em seguida desacoplado para voar por seus próprios meios.

Atualmente, a Nasa possui dois aviões para esse tipo de operação. Conhecidos como Aeronave de Transporte de Cargueiro (Shuttle Carrier Aircraft) ou SCAs, são dois modelos Boeing 747 altamente modificados, um deles do tipo 747-100 e outro 747-100SR.

Para que o ônibus espacial seja colocado no topo do SCA é utilizada uma estrutura chamada MDD (Shuttle Mate-Demate Device), que consiste de uma plataforma elevatória composta de duas torres 35 metros capazes de erguer cargas de até 120 toneladas.


Fotos: No topo, Atlantis sobrevoa o deserto da Califórnia após deixar a Base Aérea de Edwards, na Califórnia. Acima, ônibus espacial Atlantis é colocado no topo de uma SCA, nas instalações do Centro Dryden de Pesquisas de Voo, também pertencente à Base Aérea de Edwards, após a missão STS-44 em 24 de novembro de 1991. Crédito: Nasa/Jim Ross.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire