Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Meio Ambiente
Quarta-feira, 16 jul 2008 - 09h28

Amazônia: Em 1 ano floresta perde 6 cidades de São Paulo

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, informou que entre os meses de abril e maio de 2008 foram desmatados 2.219 km2 de floresta na Região amazônica, o que ultrapassa em mais de 50% o tamanho da área da cidade de São Paulo. Segundo o INPE, em maio foram mapeados 1.096 km2 pontos de corte raso ou em degradação progressiva, enquanto em abril este número atingiu 1.123 km2.

Durante o período de medição cerca de 49% da Amazônia Legal esteve coberta por nuvens, o que impediu que as imagens de satélites mostrassem maiores áreas desmatadas. Os números divulgados impressionam e quando somado aos valores dos meses anteriores vemos que durante os últimos 12 meses a floresta amazônica perdeu 9376 km2 de área verde, o que equivale a seis vezes o tamanho da capital paulista.

Do total verificado em maio, 646 km2 correspondem ao Estado do Mato Grosso, e é 19% menor quando comparado a abril, que apresentou 794 km2. No Pará foram identificados 262 km2, contra 1.3 km2 no mês de abril. Esse aumento é explicado pela área coberta por nuvens, já que em abril 11% do Pará pôde ser visto pelos satélites, enquanto em maio o campo de visão aumentou para 41%.

Para as estatísticas de maio o INPE analisou 18 imagens feitas pelo satélite LANDSAT durante órbitas sobre os estados do Mato Grosso, Pará, Rondônia e Amazonas. Foram avaliados 241 polígonos de desmatamento, representando 544 km2 da área total dos polígonos do mês de maio (1.096 km2). Do total avaliado, 88% foram confirmados como desmatamento, sendo 60% desmatamento tipo corte raso e 30% de degradação florestal.


DETER
Para monitorar a Amazônia Legal o INPE utiliza o sistema DETER - Detecção do Desmatamento em Tempo Real - concebido como um sistema de alerta no auxílio à fiscalização e controle florestal. Através do DETER são mapeadas tanto áreas de corte raso quanto áreas em processo de desmatamento por degradação.

No entanto, o sistema tem suas limitações e apenas polígonos de desmatamento superiores a 25 hectares, podem ser detectados. Essas limitações estão relacionadas à resolução dos sensores espaciais dos satélites empregados e principalmente pela cobertura de nuvens fazendo com que nem todos os desmatamentos maiores que 25 hectares possam ser identificados, deixando de fora diversas propriedades de pequeno porte.

Artes: no topo, caminhões carregados de toras de madeira são comuns nas paisagens amazônicas. Crédito: Wikimedia Commons. Na seqüência, gráfico mostra os números do desmatamento, que já atingem mais de 9 mil quilômetros quadrados nos últimos 12 meses. Crédito: INPE.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"As leis não são feitas para o homem bom" - Sócrates