Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Imagens de satélite da Terra
Sexta-feira, 30 abr 2010 - 07h46

Mancha de óleo no Golfo do México tem o dobro de São Paulo

A Segurança Nacional do governo dos Estados Unidos está mobilizada para tentar conter a enorme mancha de óleo que se espalhou pelo Golfo do México e avança em direção a costa do Estado da Louisiana. A catástrofe ambiental aconteceu depois que a plataforma de petróleo de uma empresa britânica explodiu e afundou no mar há dez dias matando 11 trabalhadores.

Imagem de satélite da mancha de óleo no Golfo do México
Clique para ampliar

Uma imagem captada pelo satélite de sensoriamento remoto Aqua, da Nasa, no dia 25 de abril, revelou a extensão da mancha localizada à direita do Delta do Rio Mississipi e a cerca de 80 quilômetros da costa da Louisiana. A mancha tem aproximadamente 170 km de comprimento por 72 km de largura, uma área quase duas vezes maior que a Região Metropolitana de São Paulo, que reune 39 municípios.

Na cena, o óleo derramado sobre o Golfo do México é bem fácil de ser observado por se tratar de uma área sob o brilho do sol, onde o reflexo nas águas dá uma aparência desbotada. Normalmente as marés negras são difíceis de serem detectadas pelos satélites. O brilho fino do óleo escurece ligeiramente o fundo já azul escuro do oceano.

A aproximação da mancha de óleo torna vulnerável e ameaça inúmeras espécies de aves e peixes na costa da Louisiana, que concentra 40% da área de pântanos do país. Segundo especialistas, o desastre ecológico poderá entrar para a história como um dos mais graves já registrados nos Estados Unidos. Isso sem falar no prejuízo econômico, a Luisiana é o primeiro produtor americano de camarões, eles são cultivados em enormes fazendas litorâneas.

A Guarda Costeira dos Estados Unidos estima que o equivalente a 5 mil barris de petróleo por dia estão sendo jogados na água do mar, bem mais do que o previsto inicialmente quando aconteceu a explosão. Nesta quinta-feira (29), o governo norte-americano declarou catástrofe nacional para tentar mobilizar mais recursos para conter o vazamento.

Em caráter emergencial foi realizada uma queima programada em parte da mancha para tentar contê-la quando sua distância chegou a apenas 40 quilômetros da costa norte-americana. A queima, entretanto, traz outros problemas, como a origem de grandes nuvens de fumaça e resíduos no mar.

Condições meteorológicas
A previsão da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) de que a mancha de óleo chegasse à costa da Louisiana até esta sexta-feira, se confirmou. A mudança na direção dos ventos ajudou a empurrar a mancha em direção ao sul dos Estados Unidos.



Foto: Imagem captada pelo satélite de sensoriamento remoto Aqua da Nasa revela a extensa mancha de óleo que se espalhou pelo Golfo do México e avança em direção a costa do Estado da Louisiana. A catástrofe ambiental aconteceu depois que a plataforma de petróleo de uma empresa britânica explodiu e afundou no mar no dia 20 de abril matando 11 trabalhadores. Crédito: Nasa.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire