Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Meio Ambiente
Sexta-feira, 25 jul 2008 - 09h33

Olimpíadas: Pequim cria sistema de previsão de poluição

Sem dúvida, a poluição do ar é um dos maiores problemas enfrentados pelos habitantes das grandes cidades e pode reduzir significativamente a performance dos atletas durante as competições esportivas, em especial àquelas que demandam grande esforço físico.

Faltando menos de 30 dias para os Jogos Olímpicos de Pequim, autoridades chinesas introduziram uma série de medidas para melhorar a qualidade do ar durante os jogos e para monitorar a efetividade dessas medidas criaram também uma nova ferramenta de análise e previsão da qualidade do ar.

Em Pequim, como em outras grandes cidades, a maior fonte de poluição é aquela gerada pelos veículos automotores e desde o dia 20 de julho severas restrições à circulação foram implantadas na cidade, retirando das ruas 50% dos mais de 3.5 milhões de veículos que rodam diariamente pela capital chinesa. Até o dia 20 de setembro os veículos privados só poderão trafegar em dias alternados e carros com altos níveis de emissão serão banidos das ruas.

Para que as medidas anti-poluição tenham o efeito desejado, pesquisadores da agência espacial européia, ESA, e do Centro de Pesquisa Ambiental da universidade de Cambridge, CERC, instalaram na cidade um equipamento batizado de Sistema de Previsão da Qualidade do Ar de Alta Resolução, que permitirá aos chineses monitorar com grande precisão o efeito das medidas implantadas.

"Estamos contentes em implantar o sistema em Pequim e acreditamos que a possibilidade de se prever com precisão a qualidade do ar trará grandes benefício para a cidade", disse David Carruthers, ligado ao CERC. Segundo o pesquisador, o sistema é altamente flexível e desde o dia 8 de julho já está gerando boletins e previsões da qualidade do ar em micro-escala, com resolução de ruas.


Previsão
As previsões abrangem 3 dias e podem ser acessadas diretamente no site do departamento de qualidade do ar de Pequim através de um mapa que mostra em detalhes os níveis esperados de dióxido de nitrogênio, ozônio, dióxido sulfúrico e material particulado para cada um dos oito distritos da cidade. Os usuários podem escolher ver mapas separadamente ou consultar o Índice de Saúde com os poluentes combinados.

O resultado da previsão é alcançado pela combinação de medições localizadas, dados de superfície e modelagem numérica. Os dados do modelo regional, chamado Chimera, são fornecidos pelo Instituto de Meteorologia da Holanda enquanto o modelo de micro-escala, ADMS-Urban, é processado pelo CERC.

De acordo com Carruthers, futuramente os dados coletados pelo satélite Envisat, da ESA, serão adicionados ao modelo, o que permitirá melhorar ainda mais as previsões de qualidade do ar.

Para quem quiser conferir os índices de poluição da capital chinesa é só acessar http://www.beijingairquality.cn/

Fotos: No topo, vista parcial do Estádio Olímpico de Pequim. Crédito: Esa. Acima, aplicativo Satmaps mostra imagens de satélite do local. Clique para navegar sobre a região.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco