Espaço, Ciência e Tecnologia. Educação Científica.
Tudo o que acontece na Terra e no espaço
você encontra aqui.
     

AGORA A CHUVA VOLTA-SE À SANTOS E REGIÃO!!!

Notícia enviada em 01/01/2010
por Rodolfo Bonafim - São Paulo/SP
As condições de tempo instável até ontem ficaram restritas a algumas localidades do interior do estado, tais como Araçatuba (noroeste) e Guaratinguetá (Vale do Paraíba), sul do estado do Rio e também a capital fluminense e a algumas cidades do sul de Minas Gerais... A convergência de umidade amazônica combinada com ventos fortes em elevados níveis na atmosfera, mais uma extensa área de baixa pressão no litoral do sudeste (litoral norte paulista e fluminense), foram as causas dessas chuvas que causaram transtornos às populações. A Baixada Santista e a capital paulista estavam "fora" dessa zona de instabilidade. Porém, a partir da noite de ontem (virada do ano), a aproximação de uma frente fria pelo oceano, iniciou por meio de ventos do quadrante sudeste, o transporte da umidade marinha para a costa, formando nuvens baixas e chuviscos muito esparsos e ocasionais em Santos, por volta das 21 horas. E hoje, em pleno "ano novo", a descida para sul da área de baixa pressão causadora das chuvas intensas nas regiões acima citadas, juntamente com um ciclone associado e a frente fria, trouxeram a partir da madrugada de hoje, chuvas que variaram desde chuviscos, chuva fraca, até pancadas moderadas em praticamente todo o primeiro dia de 2010...

Desde aproximadamente às 3 horas até agora, às 19:35, (portanto, cerca de 16 horas e meia) o pluviômetro recém-instalado na minha estação da Vila Belmiro, registrou 16,5 milímetros por metro quadrado de chuva, nada alarmante, porém, como os modelos de previsão não estão concordantes e então não há precisão quanto à continuação da chuva no tocante a sua intensidade principalmente, deixo aqui registrada uma situação de atenção, por que mesmo que a pluviosidade em Santos, até o momento não tenha ocorrido de modo torrencial, ela é praticamente constante, o que acarreta aos poucos, ao persistirem essas condições, em uma maior fragilidade do solo, notadamente nos morros...

A máxima de hoje, foi de 27,3ºC apenas, se compararmos à máxima dos dias anteriores (ontem, 33,7ºC). No momento (19:35), 25,2ºC, umidade relativa alta em 90%, pressão de 1009mbar, chuva moderada e ventos do quadrante noroeste que atingem a velocidade de 35Km/h, aproximadamente.

Houve momentos nessa tarde de sexta-feira (01/01/2009), que as rajadas atingiram cerca de 45Km/h e com a temperatura de 25,2ºC daqueles momentos, a sensação térmica que é a temperatura que nosso corpo "registra", pois quanto maior a velocidade do vento, mais calor é "extraído" do corpo humano, foi de apenas 21ºC!!! Um exemplo do cotidiano, que ilustra a sensação térmica é a ação de esfriar uma sopa qu

Rodolfo Bonafim enviou 942 notícias








  ENVIE SUA NOTÍCIA   Edite sua assinatura
  
Cadastre sua assinatura


Título da Notícia


Escreva sua Notícia


Envie uma Foto (opcional)
     Ajuda




Seu Nome

Seu E-mail

Estado



Digite o código ao lado
SEM o primeiro caractere


  


Dicas para um bom texto

1 - Não escreva tudo em maiúsculas ou minúsculas. Use os acentos corretamente.
Use sempre um corretor ortográfico!

2 - Não escreva seu texto com apenas 1 parágrafo: com certeza faltarão informações.

3 - Não escreva textos longos: serão cansativos. Dê brilho à sua notícia. Seja um redator!

4 - Dê preferência às notícias em tempo real, que ocorrem próximos à você, como tremores, fenômenos atmosféricos, astronômicos, óticos e até de condições do trânsito comprometidas por fenômenos naturais.


MUITO IMPORTANTE

1 - Antes de serem publicados, todos os textos serão verificados.

2 - A cópia de material da internet é ilegal.
As notícias ou matérias devem ser escritas pelo próprio internauta.
Fotos enviadas devem ser livres de direitos autorais.

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A política é quase tão excitante quanto a guerra, e não menos perigosa. Na guerra só podemos morrer uma vez - na política várias" - Winston Churchill