Espaço, Ciência e Tecnologia. Educação Científica.
Tudo o que acontece na Terra e no espaço
você encontra aqui.
     

Relação possível: Auroras e dinoflagelados?

Notícia enviada em 21/01/2013
por Rodolfo Bonafim - São Paulo/SP
Dinoflagelados pertencem ao reino dos protistas (algas unicelulares e os protozoários). A célula de um protista é semelhante às células de animais e plantas, porém com diferenças: os plastos das algas são diferentes dos das plantas quanto à sua organização interna de membranas fotossintéticas, pois ocorrem cílios e flagelos para sua locomoção.

Quase metade das 4.000 espécies marinhas e de água doce de dinoflagelados tem cloroplastos

(organelas onde se realiza a fotossíntese) além de ser um importante produtor primário especialmente nos oceanos.

No caso de seres bioluminescentes, a bioluminescência é produzida por componentes do fitoplâncton, principalmente dinoflagelados como a Noctiluca. Esta alga é a responsável pelos pontos de luz azul-esverdeada produzidos na areia das praias e na água, visíveis durante a noite.

Inclusive, o fenômeno da maré vermelha que acontece sem fronteiras em todos os mares da Terra, e que é devida ao fato de haver uma proliferação excessiva de algas em razão de condições favoráveis como mudanças de temperatura, alteração da salinidade, despejo de esgotos diretamente no mar, etc - durante o dia a mancha provocada pela maré vermelha é claramente visível, mas à noite com o movimento das ondas pelos ventos e passagem de embarcações sobre essa mancha há uma fosforescência espetacular de cor azul, causada pelo plâncton dinoflagelado que emite essa luminescência quando são perturbados, o que na verdade dá uma conotação de defesa natural destes seres...

Correntes de acadêmicos argumentam sobre possíveis efeitos do aquecimento global quanto à ocorrência destes eventos...

Mas, enfim, qual seria a relação entre os dinoflagelados bioluminescentes e auroras boreais?

Bem, ambos os fenômenos (biológico e solar magnético), utilizam o oxigênio para produzir seus brilhos (existe um tipo de poluição luminosa natural chamada skyglow, motivada pela luz zodiacal e também o airglow emitido na atmosfera superior, o que não permite que o céu noturno seja perfeitamente escuro, mesmo no melhor sítio de observação astronômica - ver mais em https://apolo11.com/minhanoticia.php?noticia=Quao_escuro_e_o_seu_ceu&posic=dat_20120726-031730.inc).

Além dessa relação, quando ocorre a bioluminescência de dinoflagelados, parece que ao olhar para as ondas do mar, estamos diante de uma aurora boreal na água e não no céu, guardadas as devidas proporções, é claro!

Na imagem anexa, observamos os dois eventos ao mesmo tempo, fotografados por

Frank Olsen na Noruega.

Rodolfo Bonafim enviou 940 notícias








  ENVIE SUA NOTÍCIA   Edite sua assinatura
  
Cadastre sua assinatura


Título da Notícia


Escreva sua Notícia


Envie uma Foto (opcional)
     Ajuda




Seu Nome

Seu E-mail

Estado



Digite o código ao lado
SEM o primeiro caractere


  


Dicas para um bom texto

1 - Não escreva tudo em maiúsculas ou minúsculas. Use os acentos corretamente.
Use sempre um corretor ortográfico!

2 - Não escreva seu texto com apenas 1 parágrafo: com certeza faltarão informações.

3 - Não escreva textos longos: serão cansativos. Dê brilho à sua notícia. Seja um redator!

4 - Dê preferência às notícias em tempo real, que ocorrem próximos à você, como tremores, fenômenos atmosféricos, astronômicos, óticos e até de condições do trânsito comprometidas por fenômenos naturais.


MUITO IMPORTANTE

1 - Antes de serem publicados, todos os textos serão verificados.

2 - A cópia de material da internet é ilegal.
As notícias ou matérias devem ser escritas pelo próprio internauta.
Fotos enviadas devem ser livres de direitos autorais.

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Anarquismo é a única filosofia que leva o homem ao conhecimento de si mesmo" - Emma Goldman