Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Mudanças Climáticas
Sexta-feira, 13 abr 2007 - 09h15

Aquecimento Global: cientistas estudarão o Ártico em dirigível

Como amplamente divulgado, a espessura da camada do gelo perene sobre o oceano Ártico está diminuindo rapidamente, em contraste com a cobertura do gelo na Antártida, onde as medições mais recentes mostram um ligeiro aumento.

Estudar como se desenvolve a cobertura de gelo nos oceanos polares é uma das questões chaves da pesquisa climática e está entre os principais tópicos a serem pesquisados durante o Ano Polar Internacional entre 2007 e 2008.

Para tentar resolver este quebra-cabeça, cientistas deverão começar um trabalho inédito, que tem como objetivo estabelecer o perfil da camada do gelo do oceano Ártico, desde a costa do Canadá até a Sibéria, passando pelo Pólo Norte. Para realizar o estudo, os pesquisadores deverão cruzar o Pólo em um dirigível do tipo zeppelin, equipado com sensores especiais desenvolvidos pelo Instituto Alfred Wegener para Estudos Polares, da Alemanha. O projeto é do físico francês Jean-Louis Etienne e é patrocinado pela maior companhia de petróleo da França.

"Quase não há informações sobre a distribuição regional da cobertura de gelo, tanto no Ártico como na Antártida", explica o Dr. Christian Haas, geofísico do instituto alemão. "A falta de conhecimento é a maior conseqüência dos problemas metodológicos associados às medições da flutuação do gelo menos espesso, além das dificuldades logísticas de se aventurar no Ártico central", completou.

O estudo atual das medidas da espessura do oceano Ártico tem sido feito quase que exclusivamente pelo Instituto Wegener, que o tem conduzido de forma esporádica, mas a injeção de capital por parte de empresas privadas deverá impulsionar as pesquisas.

Batizado de French PoleAirship, o projeto do físico e explorador Jean-Louis Etienne é uma oportunidade única de fazer as medições cruzando o Ártico em um dirigível. Durante a travessia, um dos instrumentos a bordo, chamado de EM-Bird, deverá coletar de forma contínua, dados da espessura do gelo através de extensas regiões do Ártico.

Em abril de 2008 o dirigível deverá voar de Spitsbergen, a 565 km a nordeste da costa da Noruega, até a costa do Canadá, passando pelo Pólo Norte. Em seguida seguirá para o Alasca. Durante o percurso serão feitas medições que resultarão em um conjunto de dados que permitirão comparações com números coletados anteriormente e estabelecer o perfil de espessura da camada de gelo.

Nos próximos dias (abril de 2007), pesquisadores do projeto PoleAirship deverão chegar ao Pólo Norte sem o emprego do dirigível, com a finalidade de coletar dados iniciais que servirão como referência às futuras experiências, bem como testar a precisão das técnicas envolvidas. Para isso, mergulhadores e veículos operados remotamente serão usados para coletar e comparar dados atuais com aqueles medidos através dos novos sensores eletromagnéticos. Os pesquisadores permanecerão em barracas sobre o gelo e serão supridos por pequenos aviões.

Fotos: No topo, concepção artística mostra o dirigível do projeto French PoleAirship sobrevoando o oceano Ártico. A segunda cena mostra uma imagem de satélite feita em setembro de 2005, quando a camada de gelo medida foi a menor da história. A linha amarela mostra até onde ia o gelo da região em 1979. Acima, o Dr. Etiene, autor do projeto French PoleAirship.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A melhor política consiste em dizer a verdade, a menos que a pessoa tenha uma habilidade excepcional para mentir" - Jerome K. Jerome