Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Mudanças Climáticas
Segunda-feira, 16 fev 2009 - 08h22

Aquecimento Global será mais grave do que o esperado

O relatório divulgado em 2007 pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, IPCC, confirmava que até o final do século as temperaturas na Terra subiriam entre 1.1ºC e 6.4ºC, mas segundo um dos cientistas que ajudou a elaborar o estudo, os valores estão subestimados e disse que as temperaturas deverão ultrapassar qualquer valor que tenha sido previsto.

O alerta foi feito por um dos membros do IPCC, climatologista Chris Field, durante encontro da Associação Americana para o Progresso da Ciência. Segundo o cientista, as emissões dos gases do Efeito Estufa aumentaram muito mais rápido do que o esperado entre os anos 2000 e 2007 e foram agravadas pela queima de carvão das usinas termoelétricas na Índia e na China.

"Na prática estamos olhando para um futuro climático muito mais grave que qualquer cenário que havíamos considerado nas políticas climáticas", afirmou Field. De acordo com o pesquisador o impacto que esse aumento na temperatura irá causar ainda é incerto, mas o aquecimento deverá se acelerar em um ritmo muito mais veloz, provocando mais danos ambientais do que o previsto.

Durante o encontro, Field sustentou que os efeitos danosos do aumento da temperatura incluem a seca das florestas tropicais, que se tornariam mais suscetíveis às queimadas e o derretimento do gelo perene das regiões glaciais, que elevaria de forma dramática o nível de carbono na atmosfera.


Estudo Recente
O trabalho de Field parece corroborar um recente estudo feito por universidades da Holanda, Inglaterra e Finlândia que informavam que os modelos de derretimento das camadas geladas - que formam a base das previsões do IPCC - não levavam em conta as rápidas variações observadas recentemente.

No último encontro do IPCC o órgão divulgou que até o ano de 2100 o nível médio dos oceanos subiria 40 centímetros em relação ao ano 2000, mas segundo o trabalho europeu esse nível será alcançado antes de 2040.

De acordo com Aslak Grinsted, geofísico do Centro de Gelo e Clima do instituo Niels Bohr, da Universidade de Copenhagen, os novos modelos de previsão mostram que o nível médio dos oceanos subirá entre 90 centímetros e 1.3 metro, indicando que as camadas de gelo polar derreterão muito mais rápido do que se imaginava.

"Sem uma ação real e efetiva, as mudanças climáticas deverão ser maiores e muito mais difíceis de serem controladas. Talvez chegamos no limite da hora para lidar com esse problema", concluiu Field.



Foto: Um dos maiores responsáveis pela emissão de CO2, um dos gases do efeito estufa, o automóvel movido a partir da queima de combustíveis fósseis continua sendo fabricado em larga escala em todo mundo. Não se sabe exatamente se os governos mundiais têm interesse real em fabricá-los de modo a utilizar combustíveis alternativos, uma vez que a exploração do petróleo tem batido sucessivos recordes de extração. Crédito: Wikimedia Commons. Acima, gráfico mostra a tendência do aumento do nível dos oceanos, comparando dados do IPCC e das universidades européias. Crédito: Aslak Grinsted, Niels Bohr Institute, University of Copenhagen - CReSIS/Haskell Indian Nations / Apolo11.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Um tolo com instrução é um tolo maior que um com falta dela." - Benjamim Franklin