Segunda-feira, 2 fev 2009 - 10h48

A difícil observação direta do cometa C/2007 N3 Lulin

Apesar dos cálculos de magnitude mostrarem que o cometa C/2007 N3 Lulin já atingiu brilho suficiente para ser visto mesmo à vista desarmada, relatos de astrônomos amadores em todo o mundo revelam que apenas com o uso de instrumentos o objeto pode ser observado atualmente. As melhores estimativas revelam que o brilho de C/2007 N3 situa-se entre 6.4 e 6.8 magnitudes, ainda fora do limite imposto pela vista humana.

No Brasil as observações do céu durante a madrugada estão bastante prejudicadas devido a uma grande massa de ar úmido que cobre praticamente todo o Brasil. Se a observação direta de C/2007 N3 já é difícil devido à grande magnitude (pouco brilho), fica ainda mais comprometida devido às condições do céu.

Segundo observações publicadas pela Rede de Astronomia Observacional, Rea-Brasil, o astrônomo amador Alexandre Amorim, de Florianópolis vem observando o cometa desde 21 de junho, quando o brilho estimado era de apenas 11 magnitudes. A última observação relatada pelo astrônomo, feita com binóculos no dia 1 de fevereiro confirma que o brilho do cometa está estimado em 6.5 magnitudes.

Isso mostra que apesar de não ser visto "a olho nu" o cometa pode ser visto com o uso de um binóculo comum. Segundo a REA o astrônomo usou um instrumento 10x50, que aumenta 10 vezes. Um binóculo desse tipo permite observar objetos de até nove magnitudes, invisíveis aos olhos humanos.

Naturalmente, com instrumentos mais potentes a visualização de C/2007 N3 se torna mais fácil. Segundo o astrônomo argentino Mariano Ribas, que observa o cometa da cidade de Buenos Aires, nos últimos 10 dias o C/2007 N3 aumentou de brilho em quase 60% e agora se parece com um objeto de magnitude 6.5. "Mesmo com a forte poluição luminosa da metrópole o cometa é facilmente visível com o uso de pequenos telescópios e binóculos", completou o astrônomo.

O cometa se aproxima cada vez mais da Terra. Sua distância atual é de 138 milhões de quilômetros e no dia 24 de fevereiro atingirá o perigeu, a apenas 59 milhões de quilômetros. Neste dia seu brilho será máximo, da ordem de 4 magnitudes e poderá ser visto facilmente por qualquer pessoa, mesmo sem auxílio de instrumentos.

Vendo o cometa
Atualmente (02 fev) o cometa se encontra no interior da constelação de Libra e no dia 06 de fevereiro entrará em conjunção com a estrela Zubenelgenubi, o que facilitará bastante sua localização, mesmo por quem não conheça bem o céu. Neste dia a distância do cometa terá diminuído para 116 milhões de quilômetros.

A carta celeste mostrada acima retrata a posição do cometa e das estrelas às 02h30 da madrugada e tem validade até o dia 6 de fevereiro. O gráfico mostra claramente que no dia 6 de fevereiro o cometa estará colado à brilhante estrela, facilitando bastante a localização do cometa.


Artes: No topo, foto do cometa C/2007 N3 Lulin feita pelo astrônomo amador Jack Newton, no Arizona, EUA. Para fazer a imagem Jack utilizou um telescópio de 180 milímetros de abertura. Acima, carta celeste ajuda a localizar o cometa durante a madrugada até o dia 6 de fevereiro. Crédito: Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Quem não compreende um olhar, tampouco há de compreender uma longa explicação" - Provérbio Arabe