Quinta-feira, 14 mar 2013 - 07h49
Por Rogério Leite

Habemus Alma! Chile inaugura o maior radiotelescópio do mundo

Depois de 30 anos de planejamento e 10 anos de construção, entrou em operação ontem no topo do deserto do Atacama a maior antena já construída para o estudo do Universo. Composto de 66 antenas parabólicas individuais, o arranjo equivale a nada menos que um gigantesco radiotelescópio de 16 quilômetros de diâmetro.

radiotelescopio Alma
Clique para ampliar

Com um custo estimado em 1.3 bilhões de dólares, o projeto ALMA é uma parceria internacional entre os EUA, União Europeia, Chile e países do leste asiático e deverá ser uma das principais ferramentas a serem usadas pelos cientistas no estudo da formação de planetas, estrelas e galáxias distantes.

Diferente dos telescópios ópticos terrestres convencionais ou espaciais como o Hubble, o ALMA não "olha" o céu no espectro da luz visível, mas em comprimentos de ondas mais longos compreendidos entre 0.3 e 9.6 milímetros. Essa região do espectro eletromagnético se localiza entre o infravermelho e as ondas de rádio e é também chamada de espectro milimétrico e sub-milimétrico, daí o nome ALMA, que significa "Grande Arranjo Milimétrico e Sub-milimétrico do Atacama" (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array)

Espectro eletromagnetico
Clique para ampliar

A grande vantagem do radiotelescópio ALMA é poder estudar fenômenos cósmicos que são invisíveis nos comprimentos de onda da luz óptica, pois estão envoltos por nuvens de gás e poeira que bloqueiam a propagação luminosa, mas não as ondas eletromagnéticas detectáveis pelo ALMA.


Arranjo
No momento da inauguração, ALMA já contava com 57 antenas prontas para uso. As outras nove serão conectadas ainda este ano.

Cada par de antenas constitui o bloco básico do sistema imageador, que permitirá ao arranjo gerar imagens de alta resolução próximas ou superiores a dos telescópios óticos.

Cada antena é separada por muitos quilômetros uma das outras e conectadas eletronicamente entre si formando diversos pares, cada um deles contribuindo com informações únicas. Em seguida, os sinais serão novamente combinados e formarão uma única imagem altamente detalhada do objeto em estudo.

Para combinar os dados coletados por cada sistema imageador, será utilizado um supercomputador de última geração capaz de realizar aproximadamente17 quatrilhões de cálculos por segundo.

Isso permitirá ao ALMA ver objetos celestes com nitidez muitas vezes superior aos melhores telescópios espaciais, além de complementar as observações que atualmente são feitas com interferômetros óticos, como o VLTI, também instalado no Chile.


Uso do ALMA
EUA, Europa e Ásia construíram pelo menos 22 antenas do projeto e financiaram a maior parte dos recursos para a construção das restantes. Pelo acordo, cientistas desses países ficarão com a maior parte do tempo destinado às observações, enquanto 10% serão de direito dos pesquisadores chilenos. O tempo restante será comercializado a outras instituições interessadas em todo o mundo.



Artes: No topo, algumas das antenas do radiotelescópio ALMA posicionadas no planalto de Chajnnator, no deserto do Atacama. Na sequência, espectro eletromagnético mostra a região de sondagem eletromagnética onde atuará os radiotelescópios. Acima, vídeo institucional mostra um pouco do projeto ALMA. Créditos: Alma Observatory, Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Existem velas que iluminam tudo, menos o próprio candelabro" - Hebbel