AGRADECIMENTOS

Agradecemos a todos os colaboradores que têm tornado possível a continuidade do nosso trabalho, permitindo que os conteúdos permaneçam gratuitos e acessíveis a todos.

Nosso Muito Obrigado!

Colabore também. Clique aqui.

Quarta-feira, 8 jul 2020 - 08h41
Por Rogério Leite

Imagens de satélite registram formação de ilha vulcânica no Pacífico

Desde que veio à tona em março de 2013, uma jovem ilha vulcânica situado no Pacífico ocidental vem chamando a atenção dos especialistas. Seu crescimento bate recordes e algumas erupções recentes arremessaram material piroclástico a mais de 2.5 km de distância.

Ilha vulcânica de Nishinoshima, registrada em cores reais pelo satélite Aqua, em 6 de julho de 2020.
Ilha vulcânica de Nishinoshima, registrada em cores reais pelo satélite Aqua, em 6 de julho de 2020.

Chamada Nishinoshima, a ilha faz parte do arquipélago de Ogasawara, um arco de ilhas vulcânicas situado a cerca de 1000 quilômetros ao sul de Tóquio, no Japão.

Imagens registradas por satélites de sensoriamento remoto mostram alguns eventos eruptivos recentes. A cena acima, registrada em cores reais pelo satélite Aqua, da NASA, foi obtida em 6 de julho de 2020, aproximadamente quinze dias após a última erupção. Nela podemos observar que a nuvem vulcânica se estendia a centenas de quilômetros ao norte, a mais de 4 mil metros de altura.

A imagem seguinte, feita em cores falsas, foi obtida pelo satélite Landsat 8, em 4 de julho de 2020. A cena combina comprimentos de onda visíveis e infravermelho próximo, o que permitiu revelar a assinatura de calor da lava e a relativa frieza da nuvem de cinzas soprando para o norte. As nuvens roxas brilhantes próximas das da ilha são consequência do vapor expelido pelo vulcão e também da água do mar vaporizada pela lava.

Ilha vulcânica de Nishinoshima, registrada em luz visível e infravermelho pelo satélite Landsat 8, em 4 de julho de 2020.
Ilha vulcânica de Nishinoshima, registrada em luz visível e infravermelho pelo satélite Landsat 8, em 4 de julho de 2020.

Segundo relatos e fotografias aéreas feitas pela Guarda Costeira do Japão, as atividades no vulcão parecem ter aumentado no final de maio, expelindo cinzas e lava com mais vigor do que observado nos meses anteriores.

Em 3 de julho, a pluma vulcânica subiu 4700 metros acima do nível do mar e no dia seguinte cinzas foram detectadas em 8300 metros de altitude, maior nível desde que o vulcão subiu acima da superfície em 2013. De acordo com a guarda costeira, a potência da erupção foi a maior já registrada, com rochas vulcânicas sendo ejetadas a 2.5 quilômetros.

Segundo a Autoridade de Informação Geoespacial do Japão, com base em informações coletadas pelo satélite TROPOMI, da ESA (Agência Espacial Europeia ) a porção sul da ilha cresceu entre 140 e 180 metros entre 19 de junho e 3 de julho de 2020, o maior aumento observado em uma ilha vulcânica neste intervalo de tempo.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.









Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2020

"Sucesso depende muitas vezes de se ter dado um passo errado na direção certa" - Al Bernstein -