Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Sábado, 7 set 2019 - 10h27
Por Rogério Leite

Missão indiana falha e módulo não consegue descer na Lua

A missão Chandrayaan-2, que deveria ter pousado o módulo Vikran na superfície da Lua, falhou nos instantes finais. Tudo corria bem até 2.1 km de altitude, quando o centro de controle da missão perdeu o contato com a sonda. Não se sabe exatamente o que aconteceu, mas há algumas hipóteses.

Sala de comando da Missão Chandrayaan-2, em Bangalore, Índia. No insert, o diretor do Apolo11 narra os procedimentos durante a transmissão ao vivo.
Sala de comando da Missão Chandrayaan-2, em Bangalore, Índia. No insert, o diretor do Apolo11 narra os procedimentos durante a transmissão ao vivo.

Trinta minutos antes de iniciar a descida, os sinais de telemetria enviados em tempo real pelo módulo de pouso mostraram que todas as etapas estavam sendo executadas corretamente, além disso, o disparo dos retrofoguetes, que tinham a função de desacelerar o Vikran, operaram dentro do esperado.

Tudo ia aparentemente bem até que a nave atingiu a altitude de 2.1 km acima do solo lunar, quando os dados telemétricos pararam de ser mostrados no painel de status da missão. Alguns instantes depois, sem atualizações enviadas pela telemetria, era claro que a nave havia perdido o contato com a Terra.


Transmissão ao vivo
O Apolo11 transmitiu ao avivo o pouso da missão Chandrayaan-2 na região do polo sul da Lua. Veja no video foi a operação.

IMPORTANTE
Inscreva-se em nosso canal no Youtube e pressione o sininho. Assim você ficará sabendo com antecipação quando o programa vai começar. :-)
Este é o link do canal: Apolochannel - https://www.youtube.com/apolochannel


A ansiedade tomou conta do responsáveis no centro de controle da missão, que aguardavam esperançosos algum sinal emitido pela sonda. Como esse sinal não vinha, os operadores pelo o orbitador, a 120 km de altitude, passar pela região do pouso, com o objetivo de retransmitir os sinais do o módulo lunar. Até esse momento, isso também não aconteceu.

Até agora, a ISRO não declarou o fim da missão, uma vez que o orbitador está ativo deverá fazer diversos experimentos no espaço, mas a cereja do bolo, o módulo Vikran e o jipe-robô Pragyan não deverão operar no solo.


Nossa opinião
Não se sabe exatamente o que aconteceu, mas ao que tudo indica, a sonda desceu rápida demais. No momento que a comunicação foi interrompida, o monitor de status mostrava que a velocidade de descida da Vikran era de 50 m/s (cerca de 180 km/h), uma velocidade muito alta considerando-se que a sonda estava a apenas 2 km de altitude. De acordo com os planos, a nave deveria pousar suavemente na superfície a 2 m/s, ou 7.2 km/h.

Se essa foi a falha, a missão Chandrayaan-2 sofreu da mesma falha da nave israelense Beresheet, que em abril se espatifou no solo lunar devido a alta velocidade de descida.







Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O tempo é só o que nos separa da morte" - Ernest Hemingway