Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Quarta-feira, 23 fev 2005 - 08h07
Por

No Irã, sobe para 420 o número de mortes do terremoto

Subiu para 420 o número de vítimas fatais na cidade de Zarand, no Irã, depois da região ser sacudida nesta terça-feira por um violento terremoto de 6.4 graus na escala Richter.

Segundo o Crescente Vermelho (versão árabe da Cruz Vermelha), a quantidade de feridos ultrapassa 5 mil.

O mau tempo vem prejudicando os trabalhos de resgate nas áreas atingidas. Diversos voluntários estão bloqueados por grandes pedras que deslizaram da região montanhosa próxima ao local da tragédia.

Autoridades iranianas informaram que mais de 40 vilas foram afetadas pelo tremor e que 90 porcento das estruturas foram destruídas em sete delas. Em outras vinte e cinco vilas os danos atingiram cinqüenta porcento das construções.

O terremoto aconteceu próximo à Zarand, uma cidade de 135 mil pessoas, localizada na província de Kerman.

Em 26 de dezembro de 2003 a cidade histórica de Bam, a 200 quilômetros de Zarand, foi fortemente atingida por um terremoto de 6.6 graus. Na ocasião pelo menos 30 mil pessoas morreram.

Informações iniciais davam conta que o epicentro havia sido localizado próximo às vilas de Khanouk, Islamabad e Mottaharabad. Segundo o USGS, Instituto de Pesquisas Geológicas dos EUA, o local do evento foi a 35 quilômetros a noroeste da cidade de Kerman, ou a aproximadamente a 16 quilômetros de Zarand.

Zarand se localiza a 740 quilômetros da capital Teerã.

O terremoto desta terça-feira ocorreu como resultado do estresse gerado pelo movimento da placa Arábica que se move em sentido norte, contra a placa Eurasiana, a razão de 2.5 cm centímetros por ano. Em resposta, a crosta terrestre dá lugar à uma grande zona deformação. Essa zona, da largura do Irã, se estende para dentro do Turcomenistão.

Abaixo vemos o sismograma do terremoto, como captado pela estação sismográfica de Riachuelo, no Rio Grande do Norte.







Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O tempo é só o que nos separa da morte" - Ernest Hemingway