Quarta-feira, 7 out 2009 - 08h26

Telescópios mostram embate cósmico entre dois buracos negros

Em alguns bilhões de anos a Via Láctea e a vizinha galáxia de Andrômeda deverão se fundir, dando origem a uma única galáxia ainda maior, mas enquanto esse momento não chega, cientistas observam o futuro encontro de dois buracos negros e que envolve as maiores forças gravitacionais do Universo.


Clique para ampliar

A imagem não deixa dúvidas e mostra a gigantesca galáxia NGC 6240 com dois buracos negros em seu interior, que de acordo com os cientistas, estão se aproximando um do outro. A cena foi obtida com ajuda do telescópio espacial Chandra, que produziu parte das imagens vistas no comprimento de onda dos raios-x e do telescópio espacial Hubble, que capturou parte os dados no espectro visível.

Na imagem, as cores vermelha, laranja e amarelo são aquelas captadas no seguimento dos raios-x, onde cada cor representa níveis diferentes de radiação. No centro, os dois buracos negros são vistos em branco intenso, graças à poderosa emissão de raios-x que faz brilhar as partículas que cercam suas vizinhanças.

A distância entre os dois buracos negros é de 3 mil anos-luz (cerca de 28 quatrilhões de quilômetros) e segundo os astrofísicos, a grande proximidade está relacionada ao movimento espiralado que faz com que ambos os objetos se atraiam mutuamente, em um processo iniciado há mais de 30 milhões de anos. No entender dos pesquisadores, ambos os buracos negros estão à deriva e se fundirão em um único objeto em dezenas ou centenas de milhões de anos.


Estudo Fascinante
Descobrir e estudar a fusão entre buracos negros é um dos campos mais ativos da astrofísica. Desde 2002, os cientistas têm demonstrado grande interesse nas observações de NGC 6240 e outros sistemas semelhantes a partir de imagens feitas pelos telescópios Chandra e outros. O objetivo das pesquisas é compreender o que acontece quando esses objetos exóticos interagem e é isso que fascina os cientistas.


Poderosos e comuns
Os astrofísicos acreditam que a formação de sistemas múltiplos de buracos negros supermassivos deve ser um processo bastante comum no Universo, uma vez que muitas galáxias que contêm buracos negros sofrem colisões e fusões com outras galáxias (como a Via Láctea e Andrômeda).

Pensa-se que os buracos negros duplos podem explicar parte do comportamento incomum, a cada dia observado com mais frequência, que é a distorção e a flexão vista nos poderosos jatos de partículas que partem desses objetos. Além disso, a fusão entre buracos negros supermassivos é provavelmente a mais poderosas fontes de ondas gravitacionais existente no Universo, um campo ainda pouco explorado e compreendido em sua plenitude.


Foto: Imagem composta por cenas registradas pelos telescópios espaciais Hubble e Chandra mostram a Galáxia NGC 6240, a 400 milhões de anos-luz da Terra. No detalhe, os dois objetos ampliados podem ser vistos no comprimento de onda de raios-x (imagem azulada). Crédito: X-ray: NASA/CXC/MIT/C.Canizares, M.Nowak, Optical: NASA/STScI.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Amargas são as lágrimas derramadas, mas ainda mais amargas são as que não se derramam" - Provérbio irlandês