Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Exploração Espacial
Quarta-feira, 13 jun 2018 - 08h41

Tempestade mostro escurece planeta e silencia jipe-robô em Marte

Uma gigantesca tempestade de poeira que cobre metade do Planeta Vermelho está impedindo que o jipe Opportunity receba a luz do Sol. Essa é a maior tempestade marciana desde 2007 e segundo os engenheiros tornou a atmosfera do planeta praticamente impenetrável.

Tempestade de Poeira em Marte
Simulação mostra os efeitos de opacidade da atmosfera devido à Tempestade de Poeira em Marte.


A falta da luz solar para recarregar as baterias forçou o jipe-robô Opportunity a entrar em modo de auto proteção, o que está impedindo qualquer comunicação entre o jipe e a Terra.

A tempestade foi primeiramente detectada em 30 de maio de 2018 e três dias depois já cobria 18 milhões de quilômetros quadrados, uma área duas vezes maior que o Brasil. Agora, a tormenta é ainda maior e segundo o Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, JPL, atinge cerca de 35 milhões de quilômetros quadrados, provocando bloqueio da luz solar em metade do planeta.

A região do Vale da Perseverança, onde se encontra o jipe-robô Opportunity, está imersa em um espesso cobertor de poeira, o que, segundo a NASA, está impedindo qualquer recarga das baterias.

A NASA mede a opacidade da atmosfera marciana em unidades "TAU". Durante a tempestade de poeira de 2007, considerada a mais intensa já registrada, o número TAU chegou à marca de 5.5 e praticamente congelou as baterias do Opportunity. Agora, o último número TAU informado pelo Jipe foi de 10.8 no último domingo, o que significa que a luz solar já não atinge a região do Vale da Perseverança e a possibilidade de congelamento volta a ser um fantasma.

Para evitar o consumo desnecessário de energia, o jipe robô entrou em modo de segurança e desligou todos os sistemas, inclusive a transmissão de dados telemétricos. Para a Nasa, essa atitude pode ter sido tomada no momento em que os sensores indicaram que as baterias estavam com tensão inferior a 24 volts.

Nesta condição de segurança apenas o relógio da missão permanece em atividade e religará os sistemas quando a carga das baterias puder suprir as necessidades básicas de consumo. Além disso, o relógio da missão "ouve", de tempos em tempos, as tentativas de comunicação enviadas pelas antenas da Rede do Espaço Profundo (DSN - Deep Space Network) e caso requisitado pode enviar pequenos pacotes de telemetria indicando as condições do veículo. A última comunicação ocorreu no domingo e indicou que a temperatura interna era de -29 graus Celsius, próxima ao limite de -35 graus suportado pelas baterias do veículo.

O robô Opportunity já está há quinze anos em operação na superfície de Marte, lembrando que a missão deveria durar apenas nove meses.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire