Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Furacões
Quinta-feira, 15 jun 2006 - 07h22

Alberto perde força e se dissipa sobre o oceano

A primeira tempestade da temporada de furacões do Atlântico norte de 2006 não se transformou em furacão. No entanto, a passagem da tempestade tropical Alberto pela costa oeste da Flórida nesta terça–feira causou diversos alagamentos e intensa agitação marítima no litoral do Estado americano.

As chuvas foram muito intensas e pelo menos dois tornados foram registrados. A FEMA, defesa civil americana, informou que não houve registro de vítimas.

Agindo com produdência, e antes que Alberto tocasse o continente, o governador da Flórida, Jeb Bush, ordenou a evacuação de mais de 21 mil moradores das áreas baixas próximas à costa, e que estavam no caminho da tempestade. Os violentos ventos de mais de 100 km/h deixaram aproximadamente 10 mil pessoas sem energia elétrica.

Em seu último boletim, divulgado às 21h00 de quarta-feira, o Centro nacional de Furacões, NHC, informou que Alberto perdeu suas características tropicais e o que restou da tempestade move-se rapidamente em sentido nordeste, ao longo da faixa oceânica. No entanto, alertas de alagamentos e inundações-relâmpago ainda estão em vigor em regiões ao norte da Carolina, Virgínia e Carolina do Sul.

O centro dos restos da tempestade localizam-se agora sobre as coordenadas 36.5 Ne 76.3 W, ao redor de 40 km ao sul de Norfolk, na Virgínia.

Os ventos sustentados produzidos pelo sistema são de 60 km/h com fortes rajadas e a pressão barométrica em seu interior é de 1001 hPa (hectopascais).

Foto: Parecendo não temer a tempestade, moradora da Flórida sai à rua em plena passagem de Alberto.


Clique aqui e saiba tudo sobre furacões:
Escala Saffir-Simpson, Formação de um furacão, diferenças entre tufões, furacões e ciclones, imagens atuais da região das tormentas e muito mais.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire