Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Furacões
Segunda-feira, 09 jun 2008 - 18h16

Cientistas da Universidade da Flórida criam simulador de furacões

O governo americano está em alerta. Especialistas prevêem para a temporada de furacões do Atlântico Norte 2008, entre 12 a 16 tempestades, das quais até cinco podem se transformar em furacões.

Geralmente, as tempestades são tão devastadoras, que a única coisa a fazer é evacuar a região, mas não há muito a fazer para impedir os estragos. A novidade é que uma equipe de cientistas e estudantes da Universidade da Flórida está trabalhando em um projeto singular para ajudar a proteger as casas e a vida de milhões de pessoas: um simulador de furacões, uma máquina gigante capaz de produzir ventos de mais de 193 quilômetros por hora, além de produzir chuva torrencial.

"Nós usamos um motor de 2,8 mil cavalos, a força de uma locomotiva, para recriar um campo de vento capaz de envolver uma casa", explica o líder do projeto, Forrest Masters.

No espírito do filme “Twister”, os Caçadores de Tornados, essa equipe, utilizou oito ventiladores industriais e os ligaram a quatro motores a diesel muito potentes, que necessitam inclusive, de um tanque de água de 19 mil litros só para evitar o superaquecimento.

"O simulador é nossa primeira tentativa de trazer o furacão para dentro do laboratório, de avaliar as construções, o ambiente urbano e tudo o que pode acabar no caminho de um furacão", diz Masters.

O objetivo é utilizar as simulações, de chuva forte e ventos de alta velocidade, para que os cientistas vejam exatamente o efeito de um furacão em residências e na área urbana.

"É por isso que estamos aqui, para fazer casas mais fortes para garantir a segurança das pessoas”, concluiu Masters.

Foto: Protótipo do simulador de furacões. Crédito: Universidade da Flórida.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O segredo em negócios é saber alguma coisa que mais ninguém sabe." - Aristóteles Onassis