Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Terça-feira, 2 set 2008 - 09h46

Encontro celeste pode ser visto logo após o pôr-do-Sol

Nem sempre as condições do tempo são favoráveis para a observação do céu, mas atualmente o firmamento tem se apresentado bastante limpo, até mesmo nas grandes cidades, permitindo boas horas de observação noturna. E para quem ainda não percebeu, Um belo encontro de astros e estrelas está acontecendo logo depois do pôr-Sol.

Conjunção planetária

Trata-se da conjunção da Lua, Marte, Vênus e Mercúrio, que podem ser vistos com bastante facilidade no quadrante oeste, aquele em que o Sol se põe. O ápice do fenômeno ocorreu na segunda-feira, dia 1 de setembro, quando a Lua estava praticamente colada aos planetas, conforme vemos na foto abaixo, enviada por Junior Sunset, de São Paulo.

Apesar do máximo da conjunção ter ocorrido ontem, ainda é possível ver a reunião dos planetas e estrelas, com a Lua um pouco mais acima.


As aparências enganam
O fato dos astros aparecerem próximos não significa que estejam juntos, próximos entre si e no mesmo plano espacial. A Lua, elemento principal da composição está neste momento a apenas 387 mil quilômetros da Terra e é o astro mais próximo de nós. Em seguida vem Mercúrio, que atualmente está a 160 milhões de quilômetros e Vênus, a 227 milhões de quilômetros. Por último vem Marte, distante 360 milhões de quilômetros.

Carta Celeste de Conjunção planetária

Outro objeto bastante brilhante que faz parte da reunião é a estrela Spica, da constelação de Virgem, que nesta terça-feira (02/09) pode ser vista acima da Lua. Mas as aparências enganam e apesar de parecer bem brilhante, Spica, a Alfa de Virgem está a 262 anos-luz de nós, ou seja, 2350 trilhões de quilômetros. Está tão longe que a luz que vemos hoje levou quase 3 séculos para chegar até nós!


Conjunção invisível
satélite Soho: Conjunção Sol-Saturno Apesar de invisível aos nossos olhos, outra conjunção está ocorrendo, desta vez entre gigantes. Trata-se da aproximação angular entre o Sol e o planeta Saturno. A conjunção é invisível porque os raios de Sol impedem a observação direta, por isso nem tente olhar para ver!

Uma forma muito mais fácil de observar o encontro é através das lentes do observatório espacial Soho, que analisa o sol durante 24 horas. As imagens do satélite estão disponíveis em forma animada e podem ser encontradas na página de atividade solar do Apolo11. Nesta conjunção, Sol e Saturno estão bem distanciados de nós. O sol se encontra a 150 milhões de quilômetros e Saturno a 1.54 bilhão de quilômetros.

Veja: galeria de Imagens da conjunção

Artes: No topo, foto da conjunção celeste feita no dia 1 de setembro de 2009. Além de Mercúrio, Vênus, Marte e a Lua é possível ver as estrelas Zaniah e Porrima da constelação de virgem. Crédito: Junior Sunset. Na seqüência, carta celeste mostra a posição dos objetos na noite de 2 de setembro, às 18h45. O Sol aparece abaixo do horizonte, em conjunção com Saturno. Crédito: Apolo11. Acima, imagem captada pelo satélite Soho mostra a conjunção entre Sol e Saturno. Crédito: Esa/Nasa.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Um tolo com instrução é um tolo maior que um com falta dela." - Benjamim Franklin