Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Furacões
Quarta-feira, 21 set 2005 - 09h50

Rita atinge a categoria 4 e avança dentro do golfo do México

Após atingir o extremo sul da península da Flórida e provocar a evacuação de mais de 58 mil pessoas nas regiões costeiras de três províncias em Cuba, o violento furacão Rita segue agora dentro das águas quentes do golfo do México, onde segundo especialistas norte-americanos, deve ganhar mais intensidade nas próximas horas.

Em entrevista à rede de tv CNN, o meteorologista do NHC, Ed Rappaport, disse que as condições atuais no golfo do México são muito similares às do Katrina, que vitimou mais de 1000 pessoas no final de agosto.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, NHC, Rita tem potencial suficiente para causar sérios e extensos danos nas regiões costeiras.

Companhias americanas de petróleo já suspenderam a produção do óleo bruto e ordenaram a evacuação das plataformas de extração dentro do golfo. Os temores com a chegada de Rita à região elevaram o preço do barril, que já ultrapassou os US$ 67 no mercado asiático.

Modelos numéricos de previsão (gráfico acima), gerados por supercomputadores, mostram que Rita deve atingir o continente entre o extremo noroeste do México e o sul da Louisiana. As maiores chances de impacto ficam portanto na região central da costa texana, mais precisamente na cidade de Galveston, que já foi atingida por furacão em 1990.

A prefeita de Galveston, Lyda Ann Thomas, declarou estado de emergência na cidade de 60 mil habitantes e ordenou a evacuação imediata de hospitais e casas de saúde.


Boletim
Em seu aviso público 15-A, emitido às 09h00 desta manhã, o Centro Nacional de Furacões, NHC, informou que o furacão Rita aumentou de intensidade e passou à categoria 4 na escala Saffir-Simpson. Isso faz de Rita um furacão extremamente perigoso e que segundo o NHC, tem potencial suficiente para produzir danos catastróficos.

No momemto do boletim, Rita localizava-se sobre a latitude 24.4 N e longitude 85.3, ou aproximadamente a 312 km oeste de Key West na Flórida e a 1264 km a este-sudeste de Corpus Christi, no Texas.

Rita move-se a 22 km/h em sentido oeste e este movimento deve ser mantido nas próximas 24 horas.

Os ventos sustentados durante 1 minuto e estimados através de imagens de satélite indicam uma intensidade de 216 km/h. De acordo com o instituto, Rita deve ganhar mais intensidade nas próximas horas.

Os ventos de Rita podem ser sentidos com força de furacào até 75 km do seu centro. Com intensidade de tempestade tropical podem ser percebidos a 220 km de distância.

A pressão barométrica de Rita também baixou nas últimas horas e está estimada no olho da tormenta em 948 hPa (hectoPascal).

  • Conheça a escala Saffir-Simpson


    Veja abaixo como se forma um furacão

    Satélite ao vivo
    Acompanhe as imagens atualizadas da região do golfo do México vistas através do satélite geoestacionário GOES-12.
    Clique aqui !







  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles