Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Terremotos
Terça-feira, 21 ago 2018 - 18h50

Forte terremoto de 7.3 sacode a Venezuela, a 22 km de Irapa

Dados recebidos da Rede Sismográfica Global (Iris-GSN) mostram que um poderoso abalo sísmico de 7.3 pontos de magnitude foi registrado a Venezuela, 22 km a sudoeste da cidade de Irapa as 18h31 pelo horário de Brasília (21/08/2018).

Forte terremoto sacode Venezuela, a 22 km de Irapa

O violento abalo teve seu epicentro estimado a 87 km de profundidade, sob as coordenadas 10.04N e 62.7W.

A localidade do tremor apresenta baixa atividade sísmica de forte intensidade. Desde 1979, o sismo mais próximo foi registrado a 5 km da localdiade, em 17/10/2015 e atingiu 4.7 magnitudes.

Brasil
Embora distante do Brasil, este evento produziu reflexos sísmicos no Estado de Roraima, onde diversos moradores relataram ter sentido o tremor.

Apesar da grande intensidade, a profundidade em que ocorreu o evento favorece a dissipação da energia antes de chegar à superfície. Quando acontecem no oceano, eventos dessa intensidade e profundidade podem provocar a formação e alertas de tsunamis.

Estatística Sísmica
Desde 1979, foram registrados 1167 tremores em um raio de 700 km ao redor do epicentro. Em torno de 100 km foram observados 310 eventos. O sismo mais próximo foi registrado a 5 km, em 17/10/2015 e atingiu 4.7 magnitudes.
O tremor mais significativo ocorreu em Região da ilha Martinica, Caribe no dia 29/11/2007, a 501 km de distância do evento atual e atingiu 7.4 magnitudes.


Energia liberada
Um terremoto de 7.3 pontos de magnitude libera a mesma energia que 66 bombas atômicas similares a que destruiu Hiroshima em 1945, ou energia equivalente contida em 1.3 milhões de toneladas de TNT.

Importante: Esta notícia pode sofrer alterações ao longo do dia







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Um tolo com instrução é um tolo maior que um com falta dela." - Benjamim Franklin