Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Vulcões
Sexta-feira, 13 jan 2006 - 08h41

Vulcão Augustine entra em erupção no Alaska

Após uma série crescente de terremotos, o vulcão Augustine entrou em erupção nesta quinta-feira, às 11h44 UTC (04h44 hora local). Meia hora mais tarde uma segunda explosão foi registrada.

Imagens de satélites indicam que a coluna de cinzas e fumaça produzida pela erupção da montanha chegou a 9 mil metros de altitude.

Quatro horas antes, cientistas do USGS - Centro de Pesquisas Geológicas dos EUA colocaram a montanha sob Nível Vermelho, o que significava que a montanha poderia explodir a qualquer momento. Após a erupção, umasignificativa diminuição da atividade sísmica permitiu que o nível de alerta fosse rebaixado ao Nível Laranja, em estado de observação.

Localizado na Península do Alaska, sobre as coordenadas 59.37 N e 153.42 W, Augustine é um estratovulcão, composto pela intercalação de fluxos de lava e material piroclástico, que se eleva a 1252 metros acima do nível do mar. Augustine também é o vulcão mais ativo do leste das Aleutas e já registrou 12 erupções desde 1812.


Sinais da erupção
Augustine é um vulcão sismicamente monitorado e desde junho de 2005 registrou 1214 eventos sísmicos. Desde dezembro de 2005 a montanha estava sendo observada com mais cuidado pelos vulcanologistas, já que uma quantidade maior sismos, e de maior intensidade, estava sendo registrada.

A quantidade de pequenos terremotos no interior da montanha, que em maio de 2005 era de 1 a 2 por dia, passou a 4 por dia em outubro e chegou a 15 no mês de dezembro. O gráfico acima mostra isso. De acordo com cientistas envolvidos, esse eventos estavamocorrendo imediatamente abaixo do topo da montanha, próximos ao nível do mar.

Juntamente com esses pequenos abalos, uma inclinação das paredes, da ordem de 5 cm, também foi detectada com equipamentos de GPS instalados em diversos pontos da montanha.

Imagens térmicas também indicavam um aumento na temperatura dos gases na saída do vulcão. A maior temperatura medida foi de 390 graus Celsius, no dia 4 de janeiro.

Essa quantidade de dados fez com que os cientistas do Observatório Vulcânico do Alaska, AVO, instalassem novos sismômetros, receptores de GPS. sensores de infrasons e câmeras nos flancos da montanha.

Em seu úmtimo boletim, emitido na noite e quinta-feira, o AVO informava que a atividade sísmica da montanha diminuiu, mas permanece alta no nível do solo. O vulcão continua a fumegar vigorosamente.

Não há indicação de que possa ocorrer uma nova explosão similar à observada ontem, mas pode ocorrer sem aviso.

Foto: O vulcanologista Mike Doukas mede a quantidade de de dióxido de enxofre e dióxido de carbono na coluna de cinzas do vulcão Augustine.


Veja Também: Informações sobre o vulcão Santa Helena







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Roubar não é só meter a mão na carteira das pessoas. Roubar é gastar errado com mordomias, com obras faraônicas, privilegiando quem já tem." - Ciro Gomes