Siga o Apolo11 no Facebook   Siga o Apolo11 no Twiiter
Ciência, Espaço e Tecnologia


Editoria: Espaço - Tecnologias
Quarta-feira, 30 nov 2022 - 11h39

Nave Orion voa longe, bate recorde e manda cartão postal da Terra

A nave não tripulada Orion, da missão Artemis 1, atingiu sua maior distância desde que foi lançada, chegando a mais de 400 mil quilômetros da Terra, ultrapassando assim a distância obtida pelo módulo de comando Odyssey, durante a missão Apollo 13, em 1970. A nave também registrou uma emblemática foto da Terra e da Lua enquadradas simultaneamente.

Terra, registrada por uma das câmeras a bordo da espaçonave Orion, quando se encontrava a mais de 400 mil km da Terra.
Terra, registrada por uma das câmeras a bordo da espaçonave Orion, quando se encontrava a mais de 400 mil km da Terra.

A Orion já está na metade da missão de 25,5 dias e de acordo com a Nasa, está em perfeitas condições continuar a jornada na atual orbita retrógrada ao redor da Lua, que deve durar seis dias.


Terra e Lua registradas no mesmo campo de visão por uma das câmeras a bordo da espaçonave Orion, durante orbita retrógrada em volta da Lua, a mais de 400 mil km da Terra.
Terra e Lua registradas no mesmo campo de visão por uma das câmeras a bordo da espaçonave Orion, durante orbita retrógrada em volta da Lua, a mais de 400 mil km da Terra.

Com base no desempenho da Orion, os administradores da missão estão examinando a possibilidade de efetuar mais sete testes para caracterizar melhor o ambiente térmico e o sistema de propulsão da espaçonave, com o objetivo de reduzir o risco antes de voar em futuras missões com a tripulação.


Preparando o retorno
Em paralelo à missão no espaço, a equipe de terra e da Marinha dos EUA estão iniciando as operações iniciais para a recuperação do Orion quando ela descer no Oceano Pacífico. Uma equipe será enviada ainda nesta terça-feira para treinamento no mar antes de retornar à costa para fazer os preparativos finais antes do retorno da cápsula.

Os controladores de voo também realizaram 9 de 19 queimas translacionais previstas e testaram os três tipos de motores a bordo da Orion: o motor principal, os propulsores auxiliares e os propulsores do sistema de controle de reação.

Segundo a NASA, aproximadamente 2500 quilos de propelentes foram usadas, o que é cerca de 75 quilos a menos do que os valores esperados antes do lançamento. Mais de 1 tonelada de margem ainda permanecem disponíveis além do que as equipes planejam usar para a missão, um aumento de mais de 60 quilos em relação aos valores esperados antes do lançamento.


Retorno da Orion
O início do retorno da Orion à Terra deve ocorrer na segunda-feira, 5 de dezembro, às 13h40 BRT (Hora de Brasília) com a ignição dos propulsores que a redirecionarão de volta ao lar.
A chegada da Orion está prevista para o dia 11 de dezembro, domingo, com a nave mergulhando no oceano Pacífico, na altura da costa da Califórnia, às 14h40 BRT.


Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2022
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Há três tipos de mentira: a mentira, a maldita mentira e a mentira estatística. " - Mark Twain