Siga o Apolo11 no Facebook   Siga o Apolo11 no Twiiter
Ciência, Espaço e Tecnologia

Lunetas e Telescopios

Smith

23/05/2009
01h44
Impacto da sonda na Lua
Categoria: Astronomia e Astrofísica

Olá pessoal,

Desde que eu li algo, antigamente, falando sobre a missão da NASA, sonda impactadora explodir com a Lua, tive e tenho alguns receios quanto às consequências.

Usando alguns conceitos da Física, como Quantidade de Movimento, sabemos, até empiricamente, que se algo colidi com outro objeto, que pode estar em repouso ou, não, este pode mudar sua trajetória, aumentar ou diminuir sua velocidade.

Certo, de acordo com a matéria do Apollo11, esta sonda impactadora(v=9 mil Km/h) irá colidir com a Lua, que supondo vai estar em repouso no sentido e direção da sonda, vai haver uma mudança de trajetória e velocidade, mesmo que ínfima(calculei a velocidade(2,4.10^-17 km/h) supondo a massa da sonda(200kg) e os dados acima).

Com certeza os críticos irão achar essa velocidade muito insignificante, mas por mais que seja ínfimo, é uma mundança no equilíbrio do Universo. Isso pode causar danos irreparáveis e desconhecidos.

Ou seja, sou contra a estas atitudes sem um consenso geral da humanidade, pois a Lua não é só dos norte-americanos, quer dizer, da NASA, é de todo o Universo.

Apertos de Mãos....


Paulo

23/05/2009
17h23
A massa da sonda é desprezível se comparada com a massa da Lua... e ademais, se repararmos em tantas crateras enormes que a Lua tem, não nos esqueçamos que será apenas mais um impacto (pequeno) entre os milhares que a Lua já sofreu no decorrer de sua história.

Wellington

25/05/2009
11h23
Mais inteligente seria a procura de outras fontes de água em nosso próprio planeta. Já sabemos da existência de centenas de rios e lagos subterrâneos esperando para análise de consumo. Poderíamos até deixá-los para reservas futuras.

Mais inteligente seria se recuperarmos a água que já poluímos e que cada cidade colocasse em seus planos diretores a coleta controlada e tratamento de água da chuva ou reestruturar as matas ciliares que destruímos, poderíamos criar milhares de lagos como fizemos em Brasília (DF) e por fim, respeitar nossos córregos e rios como artérias vitais e deixá-las saudáveis para sobrevivência de nossas futuras gerações.

Lembrem-se que nosso Amazonas tem sua origem na nascente do rio Apurímac's no alto da cordilheira dos Andes, muitos pesquisadores defendem que ele começa até antes, com degelos da cordilheira e que se somam com o Apurímac's e com milhares de afluentes, só é o maior gigante do planeta, até mesmo maior que o Nilo, porque deixamos a Natureza trabalhar.

Por esse ângulo de visão, se parássemos para pensar o que tem de água no subsolo, na superfície e na atmosfera de nosso Planeta, não saberíamos o que fazer com tanta água. Poderíamos até chamar nosso Planeta Terra de Planeta Água.

Ah! Desculpem tudo bem já entendi, não é pra NASA explorar água e trazer da Lua pra cá, é para o consumo de uma suposta colônia de corajosos exploradores lunáticos. Mesmo assim, seria mais inteligente se preocuparmos com a realidade de nossa decadência e deixar os sonhos de colonizar a Lua ou Marte pra depois.

O Brasil emprestou dinheiro ao FMI para socorrer países pobres, foi uma pegadinha ou entendi direito? Então mais inteligente seria se definitivamente fizéssemos um "elo global" para solucionarmos todos nossos problemas primeiro.

Depois poderíamos até cultivar sonhos de sermos cosmonautas.


kelso

25/05/2009
12h55
Olá pessoal,

Acho o experimento extremamente válido. Pelo que entendi eles vão direcionar o segundo estágio do Atlas rumo à uma cratera polar. Como esse estágio iria se chocar de qualquer forma com a Lua, agiram corretamente transformando-o em uma sonda impactadora de coleta de dados.

Não vejo dano ambiental algum. Equivale a lançar um tubo de alumínio em qualquer lugar, com a diferença que a energia cinética produzirá um bom choque levantando bastante poeira.

Em 2006 a sonda Smart-1 também foi arremessada contra a Lua. Aqui mesmo no Apolo11 tem um vídeo mostrando:

https://apolo11.com/spacenews.php?posic=dat_20060903-164629.inc

Aqui mais notícias sobre o evento.

https://apolo11.com/busca.php?busca=smart-1

Como disse, não vejo problema. Nada será modificado na Lua e o custo da missão é ridículo se comparado à descoberta concreta de água na Lua.

Abraços,

Kelso,


Smith

26/05/2009
01h38
Boa noite,

concordo em parte com o Wellington, realmente, a Terra deveria ser mais explorada, no sentido de obter mais fontes de água, começarmos a ter mais cuidado com as fontes que possuímos e não tentar contornar o erro de milhares de anos, procurando água em outros planetas para diminuir a escassez progressiva.

Mas não há nenhum mal em tentar achar fontes em outros planetas. Isso serviria para obtermos conhecimento sobre a origem do Universo e do líquido mais estranho conhecido.

No entanto, essa exploração de "nascentes" deveria ser de uma forma mais inteligente e cautelosa, e não ficar lançando sondas para só percebermos que não há água ou que há, quando a Lua se partir em pedaços.

Kelso, realmente, você não viria nenhuma dano ambiental com essa mente fechada e a essa "distância da Lua". Não é por que é invisível que não seja danoso. Você deve saber que muitas coisas que "parecem invisíveis" são mais letais que coisa vísiveis, exemplos são fáceis - ondas eletromagnéticas de espectro não vísivel, átomos, buracos negros, células ect. A harmonia do Universo não é observada com olhos egoístas, mas com intelectos humildes.

A pior parte é que esse abuso todo ocorre com o consentimento de todos, pois niguém foi questionar essa tal "posse" da Lua.

Eu assisti a um filme, e assisti pela metade, que um homem viaja em uma máquina do tempo e sem querer foi parar no futuro não tão distante, e nesse futuro a Lua estava sendo despedaçada, por causa das explosões que ocorriam nela no ato da colonização, e esses pedaços estavam se chocando com a Terra, proporcionando destruição em massa. Eu não quero comparar a vida com a ficção, mas de sonda em sonda, chegamos lá!!!!!

apertos de mão...


kelso

26/05/2009
06h06
Caro Smith, por favor não deturpe minhas palavras, ok?

Estamos falando de fazer uma sondagem na Lua e não jogar bombas atômicas até partí-la em mil pedaços, correto? A poeira vai ser erguida a 6 mil metros de altura devido à menor gravidade que existe lá. Se fosse aqui na Terra esse impacto seria tão mixuruca que talvez nem fosse percebido por moradores das redondezas.

Diariamente são utilizados milhares de quilos de explosivos aqui na Terra e não vejo ninguém arrancando os cabelos por isso. Esse monitor que está na sua frente utilizou grande parte dos recursos da Terra, a cadeira onde está sentado e a luz que está acesa, também. Você viveria sem eles? Qual a alternativa ecologicamente correta de ter esses bens sem retirá-los da mãe-natureza e nunca mais devolvê-los? Como você procuraria água no seu terreno sem perfurá-lo?

É lógico que não quero que a Terra e Lua sejam destruídas, seria uma idiotice pensar que minha mente fechada fica articulando métodos matemáticos para destruir o Universo, não acha? É só ler os meus posts e verá como sou.

Me abstenho ao máximo de tecer juízo de valor sobre os membros, por isso não vou fazê-lo ajuizando se alguém tem ou não a mente fechada, mas comparar a queda de um tubo de alumínio na Lua à uma hecatombe nuclear vai longe. O efeito gerado é o mesmo que uma pulga se chocar contra uma locomotiva em movimento, dada a astronômica diferença das massas envolvidas. É como o Paulo disse, desprezível.

Existem mihares de ramos do saber e neste mesmo momento centenas de milhões e dólares estão sendo empregados na pesquisa por melhores métodos de exploração da Terra. E pode ter certeza que a tecnologia empregada para ir à lua e fazer cair um mísero cano de dois metros está sendo usada para isso.

Apertos de mão,

Kelso


Wellington

26/05/2009
10h59
Honestamente não vejo nada de mal na ambição de nós homens, desde que ela seja limitada ao alcance de nossas mãos. Óbvio que todos achamos fantásticas as descobertas e avanços tecnológicos em todas as áreas, na medicina, engenharia e tantas outras. Nas questões espaciais então são alucinantes os avanços e nos deixam a cada dia, mais perplexos. Neste campo estamos sempre equilibrando na linha de limite da ficção e a realidade.

Quando dominarmos a física quântica e acharmos engraçado estarmos em dois ou mais lugares ao mesmo tempo, ou poder entrar num buraco de minhoca e visitar em segundos um universo paralelo ou simplesmente poder tocar na matéria escura ou mandar sondas colher dados em buracos negros. O que diríamos de nós mesmos? Nada! Não teríamos tempo ou racionalidade para pensamentos individuais ou egoístas, seríamos seres quânticos e nosso conhecimento moldaria nossa própria matéria.

O que sempre questiono é que poderíamos arrumar nossa humilde e frágil casa primeiro, entender onde erramos para não cometer erros em moradas que por enquanto são apenas pontos brilhantes no espaço profundo.

É incompreensível para minha limitada mentalidade atual, ver uma criança em pele e osso sugando o peito murcho e seco de sua mãe em um lado do planeta, sendo que do outro lado brincamos de colidir partículas. Como podemos ter energia nuclear e tantos ainda que nem conhecem a luz de lamparina? Não existindo fome, e todos tendo acesso as escolas diversas, provavelmente dominaríamos a velocidade da luz em bem menos tempo ou avançávamos bem mais adiante. Talvez já até estaríamos na superfície lunar delicadamente cavando uma suposta fonte e não explodindo-a a distancia.


Gilda

26/05/2009
11h26
Também acredito que será um experimento interessante. Se formos pensar bem, a tarefa vai exigir bastante precisão, uma vez que as câmeras do orbitador vão precisar coletar dados muito rapidamente da pluma que vai ser erguida, além de ter que apontar os instrumentos em um ângulo muito raso para que o Sol possa refletir com máxima intensidade nas partículas.

Acompanhei na época o choque da Smart-1 que foi sabiamente dirigida contra a superfície, produzindo luminosidade equivalente ao impacto de um pequeno meteorito. Naquela época a Smart-1 não tinha sensores e os resultados foram registrados da Terra através de telescópios.

No caso atual a pluma também será vista da Terra, mas acredito que um telescópio inferior a 200 milímetros não vai permitir ver o evento. A magnitude estimada será em torno de 10, mas não é possível prever com exatidão. O grosso dos dados será registrado pelo orbitador, que deverá detectar ou não a presença do hidrogênio molecular.

Vamos aguardar. Já estou me preparando pra acompanhar.

Gilda!


Descadastrado

26/05/2009
18h04
Apocalipticos à parte, a procura de água na Lua é essencial para se estabelecer uma base permanente caso se queira explorar Marte e todo o sistema solar.

Quanto aos impactos, Todos os corpos do Sistema Solar sofrem frequentemente com bólidos de tamanho considerável e todos continuam em suas respectivas órbitas.

Não é um objeto de alguns quilogramas que vai arranca-la da sua órbita.

Mais ciência e menos sensacionalismo.

ATM!


Smith

27/05/2009
02h51
kelso,

Quando disse sobre sua mente fechada, não foi para quantificar sua capacidade de usar métodos matemáticos para destuir o Universo, mas a sua capacidade de se prender ao visível.

Que eu saiba, os mesmos que querem atingir a Lua não sabem muito sobre a parte interna da Lua - se é semelhante à Terra(placas tectônicas, núcleo de níquel e ferro e outros detalhes.) ou se ela parece uma bola de sinuca (totalmente densa). Então, há um risco do que será expelido e do que acontecerá com impacto, pois fazendo um cálculo de quantos km³ serão explodidos, uma tonelada(1000kg) de TNT explodirá 604 590m³ de terra, ou seja, 604.5 milhões de litros de terra virando pó. Isso fica mais significativo quando é lançado na Lua (pois a Lua possui uma pressão muito baixa, isto é, quanto menos pressão mais espaço as moléculas tem para ficar livres, então aumentando seu volume, a quantidade de km³ explodidos aumenta também) e nas profundezas (8,5km de profundidade).

Sem contar com os danos invisíveis que podem ocorrer, como comentei anteriormente. Você também comentou da sonda Smart-1, mas 7200Km/h não é nada comparada a 9 mil km/h do LCROSS e nem a 1 tonelada de TNT. E o local conta também, pois a Smart-1 não foi a 8.5km de profundidade como esta.

E mais outro detalhe, procurar é uma coisa, retirar é outra coisa. Procurar é mais simples que ficar colidindo sondas contra os astros.Repito novamente, esses métodos são muito ignorantes para uma agência espacial renomada.Até meu avô com conhecimentos empíricos consegue achar água utilizando um graveto.

Wellington,

concordo com você em parte, novamente. Se você for analisar, todas os males da humanidade estão ligados ao egoísmo. Ser grande e deixar os outros para trás acabou virando rotina, e como toda rotina, ninguém percebe que está dentro dela, apenas quando tudo está no fim. Mas, como existe o arquiteto para desenhar a construção, o pedreiro para construir, o "oreia seca" para ajudar o pedreiro, o homem para comprá-la, existem pessoas capacitadas para todas as áreas, é só cada um fazer a sua parte e não pesar apenas nos que procuram respostas no espaço.

ATM,

"mais ciência que isso é ficar jogando ping-pong com os átomos". Sensacionalismo é querer mostrar, a força(impor), qual será a primeira nação que provará concretamente que possui água, ou não, na Lua. Intuito parecido com a falácia da tal "viagem à Lua"(sua foto!).

Apertos de mão,

Adam Smith

(Dados do cálculo:1m³ de TNT explode um km³ , d=1.654g/cm³, 1dm³ = 1L).


kelso

27/05/2009
06h21
Olá Gilda, quanto tempo!

Você que acompanha de perto esses experimentos, saberia me dizer se são um ou dois impactos? Acho que o orbitador vai se chocar na sequência. Seria isso?

Kelso


Descadastrado

27/05/2009
11h37
Smith

Se você é um dos que acreditam que o homem nunca pisou na Lua, então nossa conversa para por aqui mesmo.

Eu pensei (e penso) ser este forum, um local de pessoas sérias que discutem ciências e não teorias infundadas e idéias estapafúrdias.

Mais ciência, menos ignorância.

ATM!


Gilda

27/05/2009
18h40
Olá Kelso!

Sim, você está correto. Haverá dois impactos.

O primeiro será provocado pelo Centauro, o estágio superior do foguete Atlas. Quatro minutos depois será a vez da sonda Lcross, que estará vindo atrás e registrando a coluna de poeira, com os dados sendo enviados à Terra em tempo real. Quando a Lcross cair na Lua também vai provocar outra pluma.

A operação será transmitida ao vivo e o resultado não deverá levar muitos dias pra ser divulgado.

Gilda!


Paulo

27/05/2009
20h19
Ao contrário da LRO, uma missão de altíssima tecnologia, que vai inclusive testar novos tipos de equipamentos nunca usados antes, a LCROSS é uma missão estilo "carro popular", com tecnologias comprovadas e baratas, reaproveitando equipamentos e softwares já testados em missões anteriores.

Em conjunto, as duas missões permitirão o mapeamento de altíssima resolução da Lua, o conhecimento de sua mineralogia, além da esperada resposta: existirá água congelada no interior das crateras lunares?

É esperar pra ver!


Luciana

28/05/2009
13h59
Não acho certo fazer isso. Não acho que o homem tem direito de agredir a Lua. Acho uma tremenda falta de respeito à Natureza.

Smith

29/05/2009
01h32
ATM,

eu não disse explicitamente que NUNCA o homem pisou na Lua, mas, por vários fatores, acredito que a estória dos astronautas norte-americanos de chegar a por o pé na Lua durante a Guerra Fria é uma falácia muito bem produzida e bem colocada na época.

Se você é contra ao meu raciocínio, fique a vontade de me persuadir.

Antes de criticar o que alguns usuários do Apollo11 acreditam e têm como opnião, observe como você está colocando a sua opinião. Seu comportamento assemelha-se com a posição da Igreja na Idade Média, olhando apenas aquilo que os "deuses" citaram, sem questionar a veracidade.

"Menos tapa olho de cavalo, mais visão periférica."

Apertos de mão..


Smith

29/05/2009
01h41
Luciana,

muito bem colocado. Meu propósito inicialmente de criar este tópico era mostrar meu descontentamento quanto a esse desrespeito com o Universo, não desfavorecendo outras formas de desrespeito, como o Wellington colocou.

É sempre bom ver seres humanos do sexo feminino neste fórum.(Agrecendo a elegante Gilda, implicitamente, também)


Descadastrado

29/05/2009
02h58
Smith,

Não tenho que te persuadir a nada.

Os fatos históricos estão aí pra quem quiser ver e pesquisar.

Contra crendice, nem os mais lógicos argumentos serão eficazes.

Não perderei meu tempo.

ATM!

Mais ciência e menos trevas.


Wellington

29/05/2009
11h12
Como eu disse não me oponho em nada no que se refere às questões de pesquisas ou conquistas espaciais. Os exageros existem sim, como a falta de ética cósmica, digamos assim para ser mais direto. Um passo de cada vez é o correto para qualquer caminhada de sucesso!

Sabendo da importância das influencias vitais que a Lua exerce em nosso planete e consequentemente em nossas vidas, há sim de se ter um pouco mais de respeito e ponderação com essa "invasão ou exploração" de outra forma poderia até ter uma conotação de "conquista ou pesquisa".

O homem já se mostrou ao longo de sua história sua capacidade de destruidor e o quanto não importa os sacrifícios para suas conquistas.

O Kelso colocou muito bem sua pergunta ao Smith, "...Como você procuraria água no seu terreno sem perfurá-lo?...". No meu entendimento, essa é a questão, e só posso perfurar um terreno depois da conquista do tal solo. Isso é óbvio.

Não se trata de apenas um tubinho de alumínio. Mencionei o nosso gigante Amazonas, para uma reflexão, se ETs tivessem jogado tubinhos de alumínio para entender aquele filetinho de água inicial, provavelmente não teríamos o que temos hoje. Se o temos é porque a natureza trabalhou sem intervenções. Creio que a Natureza esteja trabalhando também por lá, então que pelo menos observemos de perto e não atirando "coisas" a distância.


Descadastrado

29/05/2009
19h04
Aos eco-chatos de plantão.

Vocês deveriam renunciar ao uso do computador pois, afinal, para a produção de uma unica unidade, cerca de uma tonelada de recursos naturais são retiradas da natureza, sem contar que o lixo resultante é poluidor em grande escala.

Também deveriam deixar de usar seus celulares, tv´s via satélite e conexão de internet, pois o homem "agride a natureza" colocando os tais satélites em órbita com foguetes que emitem gases tóxicos resultantes da queima de combustíveis sólidos e mesmo líquidos(hidrazina) e ainda geram detritos que ficam vagando pela órbita da terra, sem contar que o constante bombardeamento da ionosfera com ondas de rádio de alta frequência produzidas por estes equipamentos que ajudam a aquecer a camada da ionosfera.

Deixem de usar a eletricidade, afinal, imensas áreas são alagadas, matando o ecossistema da região, ou então, imensas quantidades de carbono são lançados na atmosfera pela queima de combustível nas termelétricas ou ainda a radiação resultante das usinas termonucleares, poi só assim é possível a geração de energia elétrica.

Ah, dirão vocês, "mas tem a energia eólica e solar" e lhes digo que para produzir painéis solares é necessário agredir a natureza para retirar o silício necessário para se construir as tais e as eólicas, matam os pássaros que colidem com as hélices dos geradores, causando mais um "desastre" ecológico.

Deixem de usar as suas tv´s convencionais, pois os tubos de raios catódicos, emitem radiação X, o que é imensamente prejudicial (assim como os monitores crt e as tv´s de plasma).

Parem de utilizar os transportes sejam eles públicos ou particulares, afinal, todos eles, de uma forma ou de outra, dependem dos citados meios produtores de energia para se locomover.

Eu poderia ficar aqui listando uma infinidade de razões para que vocês levassem uma vida totalmente natural e não colaborassem para a "agressão" à natureza, mas, vou me abster disso, pois a crítica aos métodos científicos é muito fácil, mas viver sem as conquistas geradas daí, é muito difícil.

Portanto, acho hipocrisia condenar a pesquisa científica e depois utilizar-se dos benefícios dela.

Vamos ser coerentes então: condenemos o uso dos animais em pesquisa de laboratório e deixemos de usar os remédios e procedimentos que curam e salvam vidas.

Se está errado bombardear a Lua (explodi-la em pedaços só na cabeça fantasiosa de alguns)?

Se for para nosso benefício futuro, não.

As vezes o método científico requer procedimentos ortodoxos para se chegar mais rápido aos resultados.

Temos necessidade de caminhar em frente, já deixamos as cavernas a milhares de anos e estamos a caminhos das estrelas, afinal, a Terra está ficando pequena e seus recursos estão se exaurindo rapidamente.


Wellington

29/05/2009
20h48
ATM

Repetindo: "...Como eu disse não me oponho em nada no que se refere às questões de pesquisas ou conquistas espaciais. Os exageros existem sim, como a falta de ética cósmica, digamos assim para ser mais direto. Um passo de cada vez é o correto para qualquer caminhada de sucesso!..."

Resumindo: O que seria uma caminhada de sucesso? Saber o que fazer com o lixo que gerará com nossas experiências e conquistas fenomenais. Produzir um lixo e não saber o que fazer com ele não é nada inteligente, é insano. Sou contra o progresso? Não! Absolutamente não, a pressa em comercializar qualquer avanço nos cega nas questões ambientais.

Dando um passo de cada vez, dominando as tecnologias envolvidas e entendendo as causas e efeitos dos produtos que listou, tudo chegaria em nossas mãos sem nos causar cânceres ou quaisquer outros males a quem quer que seja, inclusive a fonte de onde tiramos.

O homem achou linda a invenção do vaso sanitário, foi muito cômodo trazer a "casinha" pra dentro de casa. Na época uma invenção de gênio. Desde então ele vem literalmente defecando em seus rios.

Achamos o máximo nossa capacidade intelectiva e inventiva sem padrões de limites, assumimos por uma razão que desconheço ser a imagem e semelhança do Criador, e quando paro para pensar nisso, vejo que tudo na natureza esta em equilíbrio perfeito, absolutamente tudo se harmoniza, menos nós justamente os seres que mais se aproximaram do Criador.

ATM se você parar para pensar, não passamos de uma falida usina de fezes. Indiscutivelmente atropelamos e contaminamos a nós mesmos com nossas idéias maravilhosas.

Att. Um eco-chato de plantão


Descadastrado

29/05/2009
21h01
Wellington

Então, seja coerente.

Comece utilizar a moita mais próxima da sua cas, afinal, não vamos poluir nossos rios não é mesmo?

Quanto a interferência na natureza, abdique de todo o progresso que te cerca, vista uma tanga e vá vicer do que uma selva pode lhe oferecer, mas não maltrate os animais de lá e nem destrua as plantas (ou seja, comer nem pensar, nem carne e nem vegetais).

É muito fácil criticar os experimentos científicos feitos pelo outro, mas, na hora de usufrui-los, todos querem e não abrem mão não é mesmo.

Problemas vão surgindo a medida que vamos conhecendo e desenvolvendo novas tecnologias, mas temos a capacidade inventiva de ir resolvendo-os.

O que não podemos é ficar parados no tempo ou consultando o mundo inteiro quando quisermos descobrir algo que beneficiará a humanidade futuramente.

ATM!

Menos discurso e mais ação.


Wellington

29/05/2009
22h38
ATM serei coerente I

Pelo contrário, se acho que posso contribuir com o futuro de sua própria geração, seus filhos, netos, bisnetos e por aí vai, assim como os meus e de todos, não é me escondendo em uma caverna ou muito menos de tanga fugindo para uma floresta fazendo minhas necessidades fisiológicas atrás das moitas. Eu tenho é que ficar por aqui mesmo amigo acredite e usufruir de todos os meios tecnológicos que tenho ao alcance das mãos, para apontar as falhas de concepção. Essa é minha proposta.

Como arquiteto eu já preocupo e me ocupo disso, espero que outros de outras áreas façam o mesmo. Recentemente ganhei um concurso internacional, onde tive a oportunidade de exemplificar como se poderia viver um pouco melhor, com menos impacto possível. Os problemas foram surgindo no projeto e logo de imediato as soluções também. Não eliminamos de forma alguma 100% do impacto ambiental, o simples ato de nascer já é por si um impacto.

É assim que funciona: Com celular eu falo com o outro lado do mundo em questão de segundos e participo de reuniões ou vídeos conferências onde minha imagem é vista e ouvida em telões de plasma. Você jamais me conheceria se nossos PCs não estivessem conectados na A11, mas se eu pensar ou agir como você sugere, estaria eu em meio a fantásticas tecnologias, com minha mente fossilizada em um cérebro de homem das cavernas.

Os problemas não vão surgindo à medida que vamos conhecendo e desenvolvendo novas tecnologias, é um engano seu, eles existem nas concepções dos projetos, na extração de todos os elementos químicos necessários. Sabemos de seus efeitos sim, só que fechamos os olhos pra eles. O brilho do ouro ofusca o mercúrio líquido jogado em leitos de rios. Mas ninguém abre mão dos anéis né mesmo? Ora!

É muito fácil dizer depois que não sabíamos o que aconteceria. Mas pode ser tarde demais. É cômodo dizer que o primeiro câncer de um produto só manifestará daqui a algumas décadas, que quando manifestar, seu criador pode nem estar aqui mais para responder por sua irresponsabilidade, mas o câncer não será manifestado em apenas um ou dois inocentes, são milhões. Somos ingênuos quando nos é pertinente ser. Somos gênios quando nos é pertinente ser. Somos retardados quando nos é pertinente ser. CONTINUA!


Wellington

29/05/2009
22h39
ATM serei coerente II

Você disse: "...É muito fácil criticar os experimentos científicos feitos pelo outro, mas, na hora de usufruí-los, todos querem e não abrem mão não é mesmo..."

Não vamos generalizar os experimentos.

Poucas pessoas sabem que quando experimentaram a bomba atômica pela primeira vez, o fizeram sem ter a certeza de que tal experimento queimaria todo oxigênio do planeta. Olha pra você ver o absurdo e a realidade de nossa insanidade. Se o medo dos respeitáveis cientistas fosse uma realidade? Não estaríamos aqui. Não existiria você para os defender. Com esse experimento duvidoso e incerto, teriam exterminado todo oxigênio do planeta. Eu só peço cautela, e que avancemos um passo de cada vez. Não é difícil me entender, ou é? Generalizar pra que? E me mandar pra uma caverna a troco de que?

Entende agora quando afirmo que atropelamos e contaminamos a nós mesmos? Não estou aqui sacudindo bandeira ecológica não, amigo. Não sou apocalíptico e muito menos sensacionalista. Estou só lembrando aos amigos que a ponderação existe, e que todo e qualquer estudo científico merece atenção e mais responsabilidade. Os benefícios têm que chegar a todos sem qualquer dano de qualquer natureza.

Você disse também: "...O que não podemos é ficar parados no tempo ou consultando o mundo inteiro quando quisermos descobrir algo que beneficiará a humanidade futuramente..." CONTINUA!


Wellington

29/05/2009
22h40
ATM serei coerente III

Esta corretíssimo, mas a humanidade futura não vai querer uma herança cancerígena, uma floresta de plástico com animais de pelúcia ou rios, mares e lagos com fezes boiando. Temos que deixar coisas melhores para eles. Mas os homens que você defende só pensam no presente e que se danem o futuro. Há! Esqueci de uma coisa, uma minoria sairia a francesa em uma cápsula espacial para uma base eu outro planeta né mesmo?

Por último você disse: "...Menos discurso e mais ação..."

No link abaixo verá que seu amigo aqui não esta de braços cruzados e muito menos se limita ao discurso. Se interessar, foram mais de 1600 projetos enviados de todo planeta, o nosso foi um dos trinta vencedores e um dos três mais votados e comentados. Modéstia à parte, é um projeto não chato, mas um eco-projeto.

http://www.worldarchitecture.org/world-students/student-design.asp?position=detail&country=Brazil&no=2209

Amigo pra terminar, pois já fui até criticado por delongas, se faço o que sugeriu, esconder ou fugir fantasiado de Tarzan ou Neandertal, você seria o primeiro a rir de caótica figura, seria uma atitude carnavalesca de protesto. Não sou adepto a esses teatros que vemos em noticiários de TV, mas garanto que todos os dias sou obrigado a ingerir minha parcela de lixo já no café da manhã, em prol de nossas futuras gerações.

Att. Um eco-chato de plantão.

Wellington pra encurtar caminho e poder manter o bom nível dos debates.

abraço


Wellington

29/05/2009
22h55
Uma versão traduzida pra quem se interessar. Vale a pena conferir, afinal após nossos discursos, é sempre bom dar nossos exemplos.

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.worldarchitecture.org/world-buildings/world-buildings-detail.asp%3Fposition%3Ddetail%26country%3DBrazil%26no%3D2209&ei=ypAgSqblEIeJtgfnnMzHBg&sa=X&oi=translate&resnum=2&ct=result&prev=/search%3Fq%3Dwellington%2Bcosta%2Blima%26hl%3Dpt-BR


Descadastrado

30/05/2009
00h23
Wellington.

Continuo te achando. no minimo, contraditório.

Critica a forma como as coisas são extraidas da natureza, mas continua a usa-las.

Você cita o desenvolvimento atômico,mas, se não fosse ele, não teríamos os beneficios dos tratamentos radioativos contra o cancer e, se não fosse a bomba atômica, apesar dos horrores de Hiroshima e Nagasaki, estariamos sob domínio nazista ou teríamos como capital, Moscou.

Quanto ao ouro (há métodos de extração seguros sem a adição de mercúrio), se você não usa-o como anéis, usa-o diariamente em todos os seus equipamentos eletrônicos, pois todo chip possui minusculos fios de ouro.

Quanto ao seu projeto, não possuo capacidade técnica para julga-lo, não sei se é bom ou ruim, deixo isso para os especialistas.

O que não concordo é criar um clima de pânico e medo, induzindo aos menos esclarecidos (que procuram este fórum para esclarecer suas dúvidas)a pensarem que ciência e desenvolvimento é uma coisa ruim e que o cientista é o grande vilão que vai destruir o mundo e quiça o universo.

Isso é muita irresponsabilidade.

Mas, não se preocupe que em nome do "alto nível" passarei a ignorar as mensagens que tenham carater sensacionalista, mística ou obscurantistas.

ATM!


Descadastrado

30/05/2009
01h17
E por fim, frequentando este forum entendi o por que disto o que segue neste link: http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?id=1874

A minha modesta colaboração é tentar desmistificar a ciência e colaborar para elevar o nível de conhecimento da população em geral. Nada além disto

Não viso me promover ou espero recompensa. O qur faço, faço pelo prazer de divulgar ciências.


Wellington

30/05/2009
01h25
ATM

Infelizmente não entendeu minha posição. O mercúrio foi apenas para exemplificar que foi um passo errado, mas que já tínhamos o conhecimento dos danos. Muita irresponsabilidade de minha parte? Clima de pânico? Sensacionalista, místico e obscurantista? Brincadeira né? Esquece, deixa pra lá, isso sim é o que não merece comentários.

Quanto ao meu projeto, já foi julgado e premiado, apenas o enquadrei no debate quando você pediu por menos discurso e mais ação, o link indicado é uma de minhas ações, aquela é uma comunidade onde encontrará os maiores arquitetos da atualidade. Mas meu discurso é intenso também.

Resumindo, você infelizmente não entendeu nada. Como o debate ficou reduzido a nós dois, e por experiência "isso" não é produtivo para nenhum fórum e acaba sempre em combate de idéias individuais, me retiro deste tópico. Se o ofendi, perdoe-me!

Os moderadores como os demais membros poderiam dar também suas opiniões a respeito de minhas idéias ou posições, caso pensem como você, ser eu um irresponsável, me retiro em definitivo do fórum, sem o menor constrangimento ou ressentimento com quem quer que seja.

Me coloco no paredão de fuzilamento, aproveitem que o momento é este!

Alguém mais?


Smith

30/05/2009
09h27
"...mas a humanidade futura não vai querer uma herança cancerígena, uma floresta de plástico com animais de pelúcia...". Wellington, gostei da ironia!

Eu, como já disse antes, concordo com seu raciocínio. Desrespeitar a natureza não é usufruir das matérias primas que ela possue, dos alimentos que ela contém - pois esses detalhes podem ser restaurados - mas é destruir suas riquezas com apenas um desejo na mente, egoísmo(consequentemente, poder), como no caso desse tubinho de alumínio.

Concordo também, na comparação de outras vidas fora da Terra querer ficar colidindo tubinhos de alumínio aqui para estudar de longe a estrutura do planeta, acho que não seria nada agradável para seres humanos e para a natureza daqui.

A natureza e o Universo sempre tentam manter o equilíbrio dos mesmos, a intensidade dessa força de equilíbrio é sempre maior quanto a destruição da harmonia pelos homens!

ATM,

sinceramente impor seus conceitos como uma verdade para nós não está sendo nada inteligente e persuasivo.

Em uns tópicos anteriores você criticou meu raciocínio, mas não teve nem astúcia para tentar mostrar o outro lado da mentira. Antes de criticar qualquer pensamento, crendice, e lógica deste, tente apenas observar que pessoas são diferentes e possuem conceitos diferentes, mesmo que sejam certos ou errados, já valem a pena, pois são desses conceitos que se tira a média, ou seja, a verdade. Felizmente, neste fórum você encontra pessoas com anseios próprios, com vontade de desmistificar experiências próprias e não um Ph.Ds em Física e Astronomia, que pelo visto é um desejo seu. Porém, também, seria um descontentamento para você, pois qualquer físico ou astrofísico que seu preze tem que ser no mínimo mosdeto, pois não passamos da milionésima parte de um grão de poeira do Universo.

Fica o recado, não me importo como você é, nem como você age, mas desrespeitar os usuários de um fórum que você nem está familiarizado não é nada modesto e desmistificador.

Novamente usando seu próprio jargão:

"Menos tapa olho de cavalo, mais visão periférica."

Att. Um eco-chato de plantão.


Descadastrado

30/05/2009
14h07
Retificando:

ATM!

MENOS IGNORÂNCIA, MISTICISMO E DESINFORMAÇÂO.

MAIS CIÊNCIA E INFORMAÇÃO.

Importante: Todos os posts são de total responsabilidade dos seus autores e não refletem necessariamente a opinião do Apolo11.com. Informações sobre nossa Política de Privacidade podem ser encontradas no rodapé da página.

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"A gente só diz sim ou não no casamento e, ainda assim, às vezes erra." - Itamar Franco